PT defende investigações e reitera legalidade de doações eleitorais

Declaração foi divulgada nesta nesta sexta (6) após veiculação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da lista de 49 deputados federais e senadores que tiveram os nomes envolvidos em inquéritos referentes à operação Lava Jato

iG Minas Gerais | Folhapress |

O Partido dos Trabalhadores se manifestou nesta sexta (6) após a divulgação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da lista de 49 deputados federais e senadores que tiveram os nomes envolvidos em inquéritos referentes à operação Lava Jato.

Em nota assinada pelo presidente do partido, Rui Guerra, o PT defende o prosseguimento das investigações e assegura que, em caso de comprovação de delitos, seus filiados receberão punições previstas no estatuto do partido.

"Reafirmamos integral apoio ao prosseguimento das investigações que se realizam no âmbito da chamada operação Lava Jato, de forma completa e rigorosa, sem favorecimentos ou parcialidade, nos marcos do Estado Democrático de Direito", diz o texto.

Em seguida, o partido "reafirma sua convicção de que todos os acusados devem ter direito ao contraditório, à ampla defesa e ao devido processo legal" e afirma que "ao final de eventual processo, caso seja comprovada a culpa de qualquer filiado ao PT, serão aplicadas punições previstas no Estatuto".

A nota também afirma que o partido "se orgulha de liderar governos que combatem implacavelmente a corrupção" e reitera que "todas as doações que recebe são legais e devidamente declaradas à Justiça Eleitoral".

Confira, a seguir, a íntegra da nota:

Nota oficial

Diante dos pedidos de abertura de inquérito encaminhados ao Supremo Tribunal Federal pelo procurador-geral da República, em que nomes de filiados ao Partido dos Trabalhadores são mencionados, o PT tem a informar o seguinte:

1) Reafirmamos integral apoio ao prosseguimento das investigações que se realizam no âmbito da chamada Operação Lava Jato, de forma completa e rigorosa, sem favorecimentos ou parcialidade, nos marcos do Estado Democrático de Direito.

2) O partido reafirma ainda sua convicção, manifestada publicamente em seguidas reuniões do Diretório Nacional, de que todos os acusados devem ter direito ao contraditório, à ampla defesa e ao devido processo legal. E, ao final de eventual processo, caso seja comprovada a culpa de qualquer filiado ao PT, serão aplicadas punições previstas no Estatuto.

3) O PT se orgulha de liderar governos que combatem implacavelmente a corrupção. Foram os governos Lula e Dilma que mais combateram a corrupção, fortalecendo os órgãos de fiscalização e controle e garantindo a independência e a autonomia do Ministério Público e da Polícia Federal;

4) O PT reitera que todas as doações que recebe são legais e devidamente declaradas à Justiça Eleitoral.

São Paulo, 6 de março de 2015. Rui Falcão Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave