Ataque a Parlamento canadense foi vingança por Afeganistão e Iraque

Minutos antes de matar um soldado que fazia a guarda do Memorial de Guerra, nos arredores do Parlamento, Michael Zehaf-Bibeau gravou um curto vídeo com o celular

iG Minas Gerais | AFP |

Antes de ser abatido pela polícia após atacar a sede do Parlamento em Ottawa em outubro passado, o canadense convertido ao Islã Michael Zehaf-Bibeau, de 32, declarou que seu propósito era vingar a intervenção militar do Canadá no Afeganistão e no Iraque.

A revelação foi feita em um vídeo divulgado nesta sexta-feira.

Minutos antes de matar um soldado que fazia a guarda do Memorial de Guerra, nos arredores do Parlamento, Michael Zehaf-Bibeau gravou um curto vídeo com o celular.

"O Canadá se tornou oficialmente um dos nossos inimigos por lutar e nos bombardear e criar muito terror em nossos países, matando a gente e matando inocentes", acrescentou o jovem líbio-canadense, na gravação.

A polícia havia se negado a divulgar o vídeo, alegando que esse material poderia servir de estímulo para a radicalização de outras pessoas e incentivar novos atos de violência.

Sua publicação foi solicitada por uma comissão parlamentar que examina o projeto de lei antiterrorista do governo conservador. O texto pretende reforçar os poderes dos Serviços de Inteligência.

Em 2014, o Canadá encerrou sua missão de dez anos no Afeganistão. Em novembro, seus aviões de guerra se uniram à coalizão internacional que lança bombardeios aéreos contra os jihadistas do Estado Islâmico no Iraque.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave