Em quase 5 horas, Feijão vence argentino e Brasil sai na frente

O brasileiro venceu Carlos Berlocq (67º) por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 3/6, 5/7, 6/3 e 6/2, em quatro horas e 57 minutos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Até então, o paulista, atual número 75º do ranking mundial, jamais havia sequer disputado cinco sets
Sergio Llamera/ Divulgação Copa Davis
Até então, o paulista, atual número 75º do ranking mundial, jamais havia sequer disputado cinco sets

 João Souza, o Feijão, escolheu muito bem o momento de vencer a primeira partida em cinco sets na carreira. Nesta sexta-feira (6), na abertura do confronto contra a Argentina, pela primeira rodada do Grupo Mundial, o brasileiro venceu Carlos Berlocq (67º) por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 3/6, 5/7, 6/3 e 6/2, em quatro horas e 57 minutos.

A partida foi realizada no complexo Tecnópolis, em Buenos Aires.

Até então, o paulista, atual número 75º do ranking mundial, jamais havia sequer disputado cinco sets.

A vitória também representou uma conquista para Feijão, que havia ficado fora do duelo contra a Espanha, em setembro do ano passado. O Brasil, naquela ocasião, triunfou por 3 a 1 e se manteve no Grupo Mundial, que reúne a elite da competição entre países.

A sensação térmica na quadra montada no Tecnópolis oscilou entre 27ºC e 30ºC durante todo o jogo.

O comportamento das torcidas brasileira e argentina, porém, foi bem mais ameno. A rivalidade entre ambas se limitou a trocas de provocações leves.

Os fãs argentinos, em número bem superior na arquibancada, entoaram cânticos ao longo de todo o duelo --a parte brasileira era, em grande parte, formada por 19 convidados dos Correios, patrocinador da CBT (Confederação Brasileira de Tênis) e familiares dos jogadores. Rafael Kuerten, irmão de Guga, e Alice, mãe do ex-número 1 do mundo, estavam presentes também.

Gritos de "7 a 1", em referência à goleada da Alemanha sobre o Brasil na semifinal da Copa de 2014, também foram dados pelos argentinos, que estavam munidos de inúmeros instrumentos de percussão.

Feijão e Berlocq haviam se encontrado uma única vez: no challenger de Prostejov, na República Tcheca, em 2011. O triunfo foi do paulista, por 2 sets a 0.

Nesta sexta, em melhor de cinco sets, a história se repetiu.

Nos dois sets iniciais, cada parcial teve um dono. Consistente, Feijão largou na frente com 6/4. O argentino devolveu a seguir, com 6/3.

No terceiro set, que durou uma hora e 32 minutos, Feijão sacou para fechar a parcial quando tinha 5 a 2 de vantagem e teve três set points, mas acabou tendo o serviço quebrado pelo oponente.

Depois, no 5 a 5, voltou a perder o saque para o rival. O brasileiro ainda teve quatro chances de devolver a quebra, porém desperdiçou e viu Berlocq finalizar a parcial em 7/5.

Berlocq largou com uma vantagem de 3 a 1 no quarto set e parecia ter a vitória definida em suas mãos.

Com apoio da torcida, Feijão reagiu. Ganhou cinco games seguidos diante de um rival que já aparentava cansaço e fechou em 6/3.

O argentino acusou o golpe por desperdiçar tamanha chance. E passou a sentir problemas físicas. Foi atendido ao menos duas vezes pelo fisioterapeuta.

Com uma devolução errada de Berlocq, Feijão fechou o quinto set em 6/2. Em meio a isto, a torcida brasileira cantava "Ai, ai, ai, tá chegando a hora..." em resposta aos argentinos.

Ainda nesta sexta, Thomaz Bellucci e Leonardo Mayer se enfrentam na segunda partida do confronto.

Neste sábado ocorre o jogo de duplas, a partir das 13h (de Brasília).

Leia tudo sobre: feijaojoao souzateniscopa daviscalors berlocqbrasilargentina