Blatter pede para o Irã acabar com proibição de mulheres em estádios

O presidente da Fifa também criticou a dificuldade das confederações dos países em colocar qualquer mulher no comitê executivo da entidade

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Blatter está na FIFA desde 1998 e quer o quinto mandato
FIFA/ Divulgação
Blatter está na FIFA desde 1998 e quer o quinto mandato

O presidente da Fifa Joseph Blatter pediu para que o Irã acabe com a proibição da presença de mulheres em estádios de futebol, descrevendo a situação como intolerável. Blatter escreveu sobre o tema na revista semanal da Fifa.

"Quando eu viajei para o Irã em 2013, eu vi não somente o enorme entusiasmo popular com o futebol, mas também uma lei que proibia as mulheres de acompanharem partidas de futebol. Eu levei o assunto à minha reunião com o presidente do Irã, Hassan Rouhani, e saí com a impressão de que essa situação intolerável poderia mudar no médio prazo", escreveu.

"No entanto, nada aconteceu. Uma proibição coletiva dos estádios ainda se aplica às mulheres no Irã, a despeito da existência de uma vibrante organização do futebol feminino. Isso não pode continuar. Então, deixo meu apelo às autoridades iranianas: abram os estádios de futebol de sua nação às mulheres", completou.

Blatter também criticou a dificuldade das confederações dos países em colocar qualquer mulher no comitê executivo da Fifa. Atualmente, o comitê inclui três mulheres, mas elas foram eleitas diretamente pelo Congresso da Fifa após uma mudança nos estatutos da entidade em 2011.

"Foi um trabalho árduo, pois os membros do comitê executivo da Fifa são eleitos pelas associações nacionais, e nunca, nunca houve qualquer proposta para que uma mulher chegasse à Fifa", disse Blatter em evento da Fifa em Zurique. "Nós tivemos que tomar uma decisão, e eu fiz isso em 2011. Eu disse que precisávamos ter pelo menos uma mulher no comitê executivo", disse. "Em todas as confederações, não há nenhuma mulher... esse esporte rude. E isso é uma pena, nós devemos mudar isso no futuro", declarou.

Leia tudo sobre: joseph blatterfifairaestadiomulheresproibiçao