Antes de se reunir com Flamengo, pai de Valdivia vai ouvir Palmeiras

Com contrato até o fim de agosto deste ano, chileno já está livre para assinar um pré-contrato com qualquer clube

iG Minas Gerais | Folhapress |

Valdivia está lesionado e ainda não tem data para voltar a jogar
Cesar Greco / Palmeiras
Valdivia está lesionado e ainda não tem data para voltar a jogar

Luis Valdivia, pai e empresário do meia Valdivia, está no Brasil desde quarta (4). Luis veio ao país tratar da renovação do contrato de seu filho com o Palmeiras e vai se reunir com a diretoria do clube no início da próxima semana.

Mas também está no itinerário dele uma reunião para ouvir uma proposta do Flamengo pelo meia, ainda sem data definida.

Com contrato até o fim de agosto deste ano, Valdivia, pela Lei Pelé, já está livre para assinar um pré-contrato com qualquer clube, sem que o Palmeiras seja remunerado por isso.

Na quinta-feira, Valdivia fez postagem polêmica no Instagram. Na legenda da foto de uma caneca com a inscrição "Rio de Janeiro", o jogador escreveu a frase "Pois é...". O post gerou revolta entre os palmeirenses e foi apagado horas mais tarde pelo meia.

Em nova postagem, de foto dele no CT (centro de treinamentos) do Palmeiras, Valdivia negou que estivesse no Rio e disse que estava treinando no lugar que ama. Esta postagem também foi apagada horas mais tarde.

Hoje, o salário de Valdivia gira em torno de R$ 500 mil mensais. Na renovação, o Palmeiras deve tentar uma redução deste valor na parte fixa dos vencimentos. Pode até ser que, no fim das contas, Valdivia fique com vencimentos parecidos aos que ganha hoje, após a renovação. Mas a ideia é vincular parte dos ganhos à produtividade do jogador pelo time.

Ao falar do jogador, Paulo Nobre, presidente do clube, já disse que não há ninguém inegociável no elenco. À reportagem o técnico Oswaldo de Oliveira já disse que Valdivia é um craque, mas que está em patamar abaixo ao do capitão Zé Roberto.

Vale lembrar que, além do salário de aproximadamente R$ 500 mil mensais, o Palmeiras paga cerca de R$ 700 mil por mês para quitar o empréstimo feito junto ao Banco Banif para bancar a contratação de Valdivia junto ao Al Ain, dos Emirados Árabes.

Devido aos juros, quando a última parcela do acordo vencer, em dezembro deste ano, o Palmeiras terá pago quase R$ 36 milhões pela contratação do camisa 10, ante o valor inicial de R$ 14 milhões. E poderá ter ficado seis meses pagando por um jogador em um time rival.

Leia tudo sobre: valdiviapalmeirasflamengorenovaçãonegociação