Velho clássico, nova história

iG Minas Gerais |

A torcida mineira vai acompanhar, neste domingo, o primeiro superclássico da temporada. Cruzeiro e Atlético jogam às 16h, no Mineirão, no duelo que deve definir o primeiro lugar da fase classificatória do Campeonato Mineiro. Parece clichê dizer que, em clássico, não há favorito, mas especialmente para o confronto deste domingo, a frase vale como nunca. As duas equipes buscam a afirmação na temporada. O Atlético perdeu os dois jogos que fez na Copa Libertadores, perdeu o clássico para o América, ainda não engrenou e sofre com a lesão de jogadores importantes, como Lucas Pratto, Marcos Rocha e Leonardo Silva. Até agora, não fez nenhuma partida brilhante. O Cruzeiro, apesar de estar invicto na temporada e das boas peças de reposição trazidas pelo clube após o desmanche, empatou os dois primeiros jogos na Copa Libertadores, e o ataque passou em branco na competição sul-americana. Contra o Huracán, deu mostras de que ainda é um time em formação. Evidentemente, estamos no início da temporada, e os jogadores contratados ainda passam pela fase de adaptação tanto no Cruzeiro quanto no Atlético. A velha máxima de que o clássico é um divisor de águas também serve muito para o atual momento. O vencedor ganhará confiança, moral e embalo para as rodadas seguintes da Copa Libertadores. O que não podemos cobrar de ambos os clubes são as atuações e os grandes jogos do ano passado. Pelo menos por enquanto, é uma cobrança desleal e injusta. São equipes em formação, como eu tenho dito. Esperar os times supercampeões de 2014 é iludir o torcedor e enganar a nós mesmos. Os anos passam, e o superclássico ganha novos personagens, vive de fases. Saem de cena Ricardo Goulart, Everton Ribeiro, Tardelli, Réver e companhia e entram Arrascaeta, Cárdenas, Leandro Damião e outros. O bom do futebol é isso. Tudo muda muito rápido. É cíclico. Então, que venha o nosso jogão!

Quem leva a melhor? Sem favorito, o superclássico de domingo é cercado de expectativa por parte da torcida. O torcedor cruzeirense quer ver o fim do jejum contra o maior rival. O atleticano quer ver o Galo aumentar a série invicta diante da Raposa. A última vitória do Cruzeiro no maior clássico do nosso Estado foi em julho de 2013, por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro, no Mineirão. No confronto seguinte, em outubro de 2013, o Atlético venceu por 1 a 0, no Independência. Depois foram sete confrontos no ano passado, com quatro vitórias do Galo e três empates. Outro detalhe interessante é que, em 2014, o placar mais recorrente foi o 0 a 0. Foram três empates sem gol, justamente no Campeonato Mineiro. 15 anos! Esta semana é muito especial para mim. Há 15 anos, começava minha carreira na rádio Itatiaia. Comecei num Carnaval, atendendo telefone. Depois, tive a oportunidade de passar por quase todas as funções: rádio-escuta, apuração de notícias, produção, reportagem e apresentação de programas. Aprendi muito. E ainda tenho muito mais a aprender. Com o microfone da Itatiaia, participei da cobertura de Jogos Olímpicos, Copas do Mundo, Jogos Pan-Americanos, Torneios Pré-Olímpicos e incontáveis jogos pelo Estado, pelo Brasil e pelo e pelo mundo. Desde 2004, tenho o prazer e a responsabilidade de apresentar o programa Bastidores. Agradeço ao Emanuel Carneiro e aos diretores Cláudio Carneiro e Carlos Rubens Doné pela confiança, ao eterno Osvaldo Faria pela oportunidade, à coordenadora Ursula Nogueira pela parceria, aos colegas que tanto me ensinaram, em especial aos amigos Carlos Sevidanes, Milton Naves, Marco Antônio Bruck e Michel Angelo, e a todos os funcionários da emissora pela convivência. E, principalmente, aos ouvintes, que são a razão principal da Itatiaia. Orgulho imenso fazer parte da rádio Itatiaia. Uma história de 15 anos, um caso de amor!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave