Um dia para celebrar as maravilhas de ser mulher

Após anos de luta em busca de direitos iguais, elas vêm se destacando em todos os setores e provam que estão mais do que prontas para conquistar e dominar o mundo

iG Minas Gerais |

Atualmente, as mulheres ocupam os mais variados cargos, participam da política, jogam futebol, cuidam do lar (ou não), criam seus filhos, se impõem como cidadãs e buscam seu lugar ao sol
Sebastian Schaeffer /stockxpert
Atualmente, as mulheres ocupam os mais variados cargos, participam da política, jogam futebol, cuidam do lar (ou não), criam seus filhos, se impõem como cidadãs e buscam seu lugar ao sol

Erasmo um dia cantou: “dizem que a mulher é o sexo frágil, mas que mentira absurda! Eu que faço parte da rotina de uma delas sei que a força está com elas”. E, a cada dia, o tempo só confirma o quanto ele estava certo. Foi-se o tempo em que as mulheres precisavam do aval de alguém para fazer e acontecer. Hoje, elas ocupam os mais variados cargos, participam da política, jogam futebol, cuidam do lar (ou não), criam seus filhos, se impõem como cidadãs, metem o bedelho onde bem entendem e estão prontas para dominar o mundo – se é que já não dominaram.

Mas é bom lembrar que nem sempre foi assim. A luta feminina para alcançar seus direitos e conquistar o respeito da sociedade foi longa e árdua. No próximo domingo (8), é comemorado internacionalmente, o Dia da Mulher. A data surgiu a partir de uma tragédia acontecida em 1857, quando as operárias têxteis de uma fábrica de Nova York entraram em greve ocupando a empresa, para reivindicarem a redução da jornada de trabalho. Em meio à confusão, cerca de 130 mulheres foram fechadas na fábrica, e, após um incêndio, todas elas morreram queimadas. A luta perdurou por longos anos e, em 1910, em uma conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de março como Dia Internacional da Mulher.

Mais de 800 anos depois da tragédia, muitas conquistas foram alcançadas, mas ainda há muito por fazer e lutar.

Embora as homenagens não devam se limitar às datas especiais, quem tem mãe, avó, tia, filha, irmã, namorada, esposa ou até mesmo uma amiga, pode aproveitar a ocasião e, neste domingo, demonstrar todo o carinho, respeito e gratidão às mulheres que fazem parte da sua vida. Seja com palavras, com um presente, um almoço ou mesmo à moda antiga, com bilhetes e cartas.

 

Há 80 anos...

Em maio de 1933, na eleição para a Assembleia Nacional Constituinte, que pela primeira vez a mulher brasileira pôde votar e ser votada em âmbito nacional. Após 80 anos, elas passaram a ser maioria no universo de eleitores do país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave