Sem prevenção, Betim é a 2ª em MG em casos de dengue

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), até o dia 20 de fevereiro Betim já havia confirmado 117 casos da doença; em primeiro lugar está Uberlândia, com 155

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

No bairro Alto das Flores, moradores reclamam do acúmulo de lixo e de entulhos em lotes vagos e até no meio da rua
João Lêus
No bairro Alto das Flores, moradores reclamam do acúmulo de lixo e de entulhos em lotes vagos e até no meio da rua

Números alarmantes divulgados recentemente pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostram que Betim é a segunda cidade em Minas Gerais em casos de dengue.

De acordo com o último balanço, até o dia 20 de fevereiro, 117 casos da doença já haviam sido confirmados, o que deixou o município à frente até mesmo de Belo Horizonte, onde, até a mesma data, haviam sido contabilizados 93 casos. Em primeiro lugar no Estado está Uberlândia, com 155 confirmações.

Já números da Secretaria Municipal de Saúde revelaram que, até segunda-feira (2), Betim havia contabilizado 938 casos suspeitos, 331 confirmados e 446 sob investigação.

Mesmo após a cidade ter enfrentado um surto da doença em 2013, com a população se queixando de que faltam ações de prevenção da prefeitura, moradores do Vianópolis, região com maior índice da doença, reclamam de que os agentes de saúde visitam poucas casas da região. “Não há prevenção. A gente liga para as regionais pedindo a limpeza de lotes e a coleta de lixo e entulho das ruas, mas nenhuma providência é tomada”, reclama o motorista Nilton Xavier. Na casa dele, o pai, de 57 anos, e o sobrinho, de 16, já foram picados pelo mosquito Aedes Aegypti neste ano.

No bairro Angola, a situação também é preocupante. A dona de casa Viviane Oliveira, 52, suspeita que ela tenha sido picada pelo mosquito devido a existência de um lote vago ao lado da casa dela, na rua do Rosário. A doença foi descoberta por ela na terça-feira de Carnaval. “Estavam em viagem, e comecei a sentir muita dor no corpo e febre. Assim que cheguei a Betim, fiz o exame de sangue, e a dengue foi diagnosticada”, lembra ela, que já havia sido picada pelo mosquito em 2011.

No bairro Alto das Flores, moradores reclamam do acúmulo de lixo em entulhos em lotes vagos. “A gente tenta fazer a nossa parte, eliminando os focos do mosquito dentro de casa, mas, infelizmente, boa parte da população não tem consciência e joga lixo e entulhos nas ruas e em lotes vagos”, alerta o comerciante Edvaldo Andrade.

Diante do surto, nem o ex-secretário municipal de Saúde Mauro Reis escapou. Nesta semana, ele foi diagnosticado com a doença.

Epidemia Em 2013, depois de contabilizar 5.084 notificações de dengue, Betim atingiu uma taxa de incidência de 1.300 casos por 100 mil habitantes. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), para se considerar uma epidemia, o número de notificações deve passar de 300 por 100 mil. Por causa do alto índice de casos, um posto de atendimento exclusivo a pacientes com sintomas da dengue foi montado no Centro de Especialidades Divino Braga.  

Resposta A Secretaria Municipal de Saúde informou que, neste sábado (7), dará início a uma ação especial para controle e combate à dengue e que a região do Vianópolis vai receber uma ação integrada para mobilizar e conscientizar a população sobre a importância do cuidado diário para se evitar o surgimento de focos e criadouros do Aedes Aegypti. A secretaria informou, ainda, que contratou mais 36 Agentes de Controle de Endemias (ACEs) para reforçar o combate à doença.

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave