Estádio do Palmeiras já levou R$ 120 mil em multas por infração à lei

O estádio apresentada irregularidades na fachada e que não foram corrigidas

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

undefined

 A construtora WTorre, administradora do estádio do Palmeiras, já foi multada em R$ 120 mil pela Prefeitura de São Paulo devido a irregularidades na fachada do empreendimento.

De acordo com subprefeitura da Lapa, os quatro letreiros com a inscrição "Allianz Parque", nome do estádio, ferem a Lei nº 14.223, conhecida como Lei Cidade Limpa.

O estádio foi multado pela primeira vez em 4 de novembro do ano passado, no valor de R$ 40 mil. Na ocasião, a construtora foi intimada a remover ou regularizar o problema, sob risco de ser novamente multada caso não fizesse as alterações.

No início do Campeonato Paulista deste ano, a construtora voltou a exibir fachadas em desacordo com a Lei Cidade Limpa. Assim, em 9 de fevereiro, a Subprefeitura aplicou nova multa na construtora. Desta vez, o valor total foi de R$ 80 mil -R$ 20 mil por letreiro.

De acordo com a Subprefeitura da Lapa, uma nova vistoria será feita no local nos próximos dias. Caso não haja mudanças, o estádio vai ser multado novamente.

Procurada, a WTorre alegou não ter sido oficialmente informada sobre as multas e que não iria se manifestar sobre o assunto.

Poucos dias depois da multa em dezembro de 2014, a construtora, de fato, iniciou a alteração das fachadas. Mas disse à reportagem que a mudança não tinha relação com a penalidade.

Na ocasião, a construtora afirmou ainda que a decisão "causou estranheza pois cobra o registro no Cadastro de Anúncios (Cadan) do letreiro na fachada da arena quando, na realidade, trata-se de "Denominação de Prédios e Condomínios" -tema que vem sendo tratado junto à secretaria municipal competente, desde a elaboração do projeto".