Suspeito de manter mulher em cativeiro antes de matá-la é apresentado

O crime foi qualificado como cruel pelos investigadores, que constataram que a intenção do suspeito era decapitar a vítima

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O suspeito de manter uma mulher em cárcere privado, amarrá-la e amordaçá-la, antes de assassiná-la foi apresentado nesta quinta-feira (5) pela Polícia Civil. A vítima foi morta no dia 3 de fevereiro deste ano, no bairro Viena, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. A conclusão da equipe de investigação é que o crime foi planejado e executado com requintes de crueldade.

O homem, de 25 anos, conhecido como "Gigante" matou a vítima Patrícia Tomé Rodrigues de Oliveira, de 44 anos, por dinheiro, já que ela era herdeira de uma boa quantia em dinheiro.

Segundo o delegado Eduardo Hilbert, responsável pelas investigações, a vítima tinha o costume de levar café para os operários de uma obra perto da sua casa, onde o suspeito trabalhava. Sabendo que Patrícia pretendia comprar uma casa com o valor que receberia da herança, o homem a atraiu com o pretexto de mostrar a ela um imóvel a venda.

Ele levou a mulher para uma obra em que estava trabalhando e a rendeu, obrigando-a, mediante violência e ameaça, a entregar o cartão de banco e a senha da conta.

Com o cartão em mãos e a vítima em cárcere, o suspeito providenciou a transferência bancária para a sua conta pessoal, e sacou o dinheiro. Depois de comprar várias coisas, ele voltou ao cativeiro e executou Patrícia com um golpe de facão no pescoço. Foi constatado que a intenção do homem era decapitar a vítima.

Ele foi preso no povoado de Cana Brava, em Senador Mourão, distrito de Diamantina, e permanece detido. 

Leia tudo sobre: CRIMECRUELcárcere privadocana bravaassassinatofacãodinheiro