Sob pressão do Congresso, Hillary Clinton divulgará e-mails pessoais

Republicanos do Congresso apresentaram na quarta-feira (3) uma solicitação para obter todos os e-mails enviados por Hillary Clinton durante período em que ela esteve no comando do Departamento de Estado

iG Minas Gerais | AFP |

Wilson Dias/Agência Brasil
undefined

Hillary Clinton, criticada pelos republicados por ter usado exclusivamente um e-mail pessoal no período em que era chefe da diplomacia americana, afirmou na quarta-feira (3) à noite que deseja divulgar as mensagens eletrônicas.

"Quero que as pessoas leiam meus e-mails. Pedi ao Departamento de Estado que publique. Eles (o Departamento de Estado) afirmaram que revisariam para divulgá-los o mais rápido possível", escreveu no Twitter.

 

I want the public to see my email. I asked State to release them. They said they will review them for release as soon as possible.

— Hillary Clinton (@HillaryClinton) 5 março 2015  

Hillary é uma das principais figuras do Partido Democrata e é apontada como uma possível candidata à presidência americana em 2016.

Durante os quatro anos que passou à frente do Departamento de Estado (2009-2013), Hillary Clinton jamais usou o e-mail oficial (que termina com state.gov). Ela preferiu um endereço pessoal, o que poderia constituir uma violação das normas e comprometer a segurança de comunicações consideradas sensíveis.

Os republicanos do Congresso apresentaram na quarta-feira (3) uma solicitação para obter todos os e-mails enviados por Hillary Clinton durante o período.

O presidente da comissão que investiga o ataque à missão diplomática americana em Benghazi (2012), Líbia, o republicano Trey Gowdy, explicou ter descoberto na semana passada que o Departamento de Estado não produziu correspondência nos quatro anos de Hillary no comando da diplomacia, já que ela utilizava exclusivamente seu e-mail particular.

O Departamento de Estado respondeu à mensagem da democrata com o anúncio de que publicaria os e-mails "segundo os procedimentos normais que administram este tipo de publicação".

"Vamos fazer a revisão o mais rápido possível. Com o grande volume de informações envolvidas, a análise levará algum tempo", afirmou uma porta-voz, Marie Harf.

De acordo com o jornal New York Times, 50.000 e-mails de Hillary Clinton foram entregues recentemente ao Departamento de Estado, mas os republicanos afirmam que não existe nenhuma garantia de que todas as mensagens importantes tenham sido transmitidas para a conservação.

A lei americana determina a conservação no Arquivo Nacional de toda a correspondência profissional de funcionários do governo. Desde 2014, qualquer comunicação enviada de um e-mail particular também deve ser enviado para o endereço governamental para o arquivamento.