Quase tudo azul no clássico

Raposa chegou a oferecer os 10% a que o rival tem direito, mas Galo optou por carga menor

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Acordo. 
Representantes de Cruzeiro e Atlético discutem  setores que cada torcida ocupará no Mineirão
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Acordo. Representantes de Cruzeiro e Atlético discutem setores que cada torcida ocupará no Mineirão

Não será desta vez que o maior clássico do futebol Mineiro terá a volta das torcidas divididas. Muito pelo contrário, a partida entre Cruzeiro e Atlético, no próximo domingo, pelo Campeonato Mineiro, terá o Mineirão praticamente todo azul. Isso porque a diretoria do Galo decidiu abrir mão do total de 6.043 ingressos oferecidos pelo clube celeste e requisitou apenas 1.050 entradas. Os cruzeirenses terão direito a cerca de 60 mil bilhetes.

Nesta quarta pela manhã, em reunião na sede da Federação Mineira de Futebol (FMF), o Cruzeiro ofereceu os 10% de entradas a que o rival tem direito, confirmando um acordo prévio entre os dirigentes. O clima da reunião foi diferente em relação ao planejamento para as finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes protagonizaram uma briga por percentuais dos ingressos. Representantes de Bombeiros, polícias Militar e Civil, Ministério Público e Minas Arena também participaram do encontro.

Mandante do confronto, o Cruzeiro foi representado pelo gerente de futebol, Valdir Barbosa, e pelo supervisor, Benecy Queiroz. “Não teve nenhum atrito, foi tranquilo. Definiu-se o lógico entre Cruzeiro e Atlético. As autoridades acataram tudo. Agora é ir para o jogo e que vença o melhor”, afirmou Barbosa.

Pelo lado do Atlético, compareceram o diretor jurídico, Lásaro Cândido e a diretora executiva, Adriana Branco. Após afirmar que a proposta ainda estaria em análise, sobretudo em relação aos preços e posicionamento dos setores, Cândido afirmou que o Galo saiu satisfeito da reunião. “Quando se cumpre o regulamento, os clubes têm que estar satisfeitos. O regulamento garante adquirir até 10% da carga total”, disse Cândido.

No entanto, no início da noite desta quarta, o diretor alvinegro informou que o clube ficaria com apenas 1.050 ingressos. “Alguns aspectos foram considerados. A proximidade com o jogo e o início das vendas foram um deles. O outro é o interesse da partida, além dos valores dos ingressos. Com isso, decidimos pegar um terço das entradas de cada setor oferecido pelo Cruzeiro”, explicou o dirigente.

Para ter direito aos cerca de 6.000 bilhetes, o Galo teria de depositar R$ 500 mil. Cândido explicou que tentou uma proposta diferente para o clube mandante, que não foi atendida. “Propusemos ao Cruzeiro nos entregar a carga, e que a gente pudesse devolver o que restasse, mas eles não aceitaram, queriam essa garantia”. Para os atleticanos, as entradas custarão R$ 50, R$ 80 e R$ 120. Já os cruzeirenses terão de desembolsar de R$ de 50 a R$ 170.

Esperança

Meio a meio. Os presidentes do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, e do Atlético, Daniel Nepomuceno, devem iniciar conversas para, em um futuro próximo, possibilitar a volta da torcida dividida.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave