Prefeitura vai apurar mortes no Move

Prefeito anunciou medida no dia em que um usuário morreu em pista do sistema

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA / BRUNA CARMONA |


PM foi chamada devido a atropelamento, mas condutor nega acidente
Moisés Silva
PM foi chamada devido a atropelamento, mas condutor nega acidente

A Prefeitura de Belo Horizonte vai investigar todos os acidentes com ônibus do Move que resultaram em mortes, segundo disse nesta quarta o prefeito Marcio Lacerda, no lançamento do primeiro Festival Literário de BH. “Vamos verificar as circunstâncias de cada acidente fatal para que se corrija (a falha) de alguma maneira”, afirmou. A declaração se deu no dia em que um homem morreu na pista exclusiva do sistema, na estação São Francisco, na avenida Antônio Carlos.

A vítima, não identificada até o fechamento desta edição, teve esmagamento de crânio e perda de massa encefálica. A Polícia Militar foi acionada para atender a um caso de atropelamento por um veículo do Move metropolitano. No entanto, ao analisar imagens da câmera de vigilância da estação, militares e agentes da Guarda Municipal constataram que o homem brigou com outra pessoa e foi golpeado com chutes na cabeça. O suspeito das agressões fugiu. No ônibus que passava pelo local no momento da briga, não consta sinal de atropelamento. O condutor foi ouvido pela delegada Sandra Figueiredo, do Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), e liberado após negar o acidente. Projetos. O prefeito também afirmou que a prefeitura estuda ampliar o Move para a região Oeste, e que ajustes estão sendo feitos nas estações Pampulha e São Gabriel, onde, segundo usuários, portas, escadas, elevadores e monitores estragados atrapalham o sistema. Lacerda citou uma “pesquisa interna” que apontou que 25 mil pessoas teriam deixado de usar carros no último ano, após o lançamento do Move. “O índice de aprovação (do Move) é próximo de 80%”, assegurou. A pesquisa não foi divulgada. Lacerda disse ainda que espera fechar contrato com o Estado para aumentar a segurança no sistema.

Balanço Acidentes. Já foram registrados cerca de 20 acidentes envolvendo veículos do sistema, entre atropelamentos e colisões.  Mortes. Segundo a BHTrans, houve quatro mortes ligadas a coletivos do sistema municipal do Move, “média inferior à média do sistema convencional”. 

Terminais vão ser avaliados por vereadores As estações Venda Nova, Vilarinho, São Gabriel e Pampulha do Move serão avaliadas por vereadores de Belo Horizonte nos próximos dias 16 e 17. A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário da Câmara irá analisar os equipamentos e a qualidade do atendimento. A visita foi solicitada pelo vereador Pablito (PV), a partir de reclamações e denúncias de passageiros insatisfeitos com problemas como superlotação e defeitos nas plataformas. A ação será acompanhada pela BHTrans e Sudecap.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave