Defesa admite culpa em atentado de Boston

Djokhar Tsarnaev começa a ser julgado pela morte de três e ferimentos de 264

iG Minas Gerais |

Boston, EUA. A defesa do único acusado pelos atentados da maratona de Boston, em 2013, admitiu que seu cliente cometeu os sangrentos ataques que deixaram três mortos e 264 feridos, na abertura do aguardado julgamento na cidade do nordeste dos EUA.

“Foi ele”, reconheceu a advogada Judy Clark, ao lado de Djokhar Tsarnaev, um jovem muçulmano de origem chechena de 21 anos, que poderá ser condenado à pena capital caso seja considerado culpado do pior atentado cometido em solo americano desde os ataques de 11 de setembro.

Tsarnaev compareceu de blazer na sala de audiências lotada do tribunal presidido pelo juiz federal George o’Toole, onde foram revividas as sangrentas cenas registradas pelas explosões de bombas artesanais perto da linha de chegada da maratona. Os três mortos no atentado foram um menino de oito anos, uma estudante chinesa de 22 e uma mulher de 29. Quinze feridos tiveram que sofrer amputações. Alguns deles deram testemunhos arrepiantes nesta quarta, relatando o pesadelo, o sofrimento e o medo de morrer que sentiram.

Após a primeira explosão, “foi o caos” com “gritos e fumaça”, relatou Karen McWatters, amputada de uma perna e amiga de Krystle Campbell, uma das três vítimas mortas. “Houve outra explosão e mais caos, pior do que a primeira vez. Pude ver parte da minha perna e do meu pé pendurados (...). Sofria horrivelmente, tentamos aproximar nossos rostos”, disse Karen sobre sua amiga. “Nunca vi seus ferimentos. Ela me disse muito lentamente que as pernas doíam muito. Ficamos de mãos dadas até que a dela se soltou. Não disse mais nada e não voltei a vê-la viva”, acrescentou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave