Inadimplentes no país devem 7 vezes mais que ganham

Empresas de celular são as que mais procuram para negociar

iG Minas Gerais | Da redação |

O brasileiro inadimplente, aquele que está com contas em atraso e nome sujo, deve em média sete vezes mais que sua renda. A revelação assustadora veio da pesquisa A Recuperação de Crédito no Brasil, encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira Meu Bolso Feliz, realizada nas 27 capitais entre os dias 1 e 8 de fevereiro.

De acordo com a pesquisa, a renda média dos inadimplentes entrevistados é R$ 2.822. Já o valor médio das dívidas, já com juros e taxas, é de R$ 21.676, mais de sete vezes o que o consumidor recebe por mês.

Em geral, a dívida de quem está atrasado já se prolonga por 2,2 anos. O presidente do SPC Brasil, Roque Pellizaro, explica que o brasileiro inadimplente demora muito para quitar uma dívida. “Negociar a dívida rapidamente é muito mais vantajoso do que deixar os juros rolarem. A taxa média de desconto para negociação é de 22%, mas chega a 69% para quem propõe o pagamento à vista”, explica.

Mais que a crise econômica vivida pelo país, o descontrole financeiro é o maior responsável pelo nome sujo. Mais da metade dos consumidores, entre inadimplentes e ex-inadimplentes ouvidos na pesquisa, afirmam que a falta de planejamento no orçamento pessoal e o fato de ter comprado mais do que podia são as principais razões para não pagar as contas. Desemprego, diminuição de renda e salário atrasado ficam atrás. “A tendência do consumidor, quando decide cortar gastos, é diminuir as despesas com vestuário e calçados, lazer, alimentação fora de casa, salão de beleza e telefonia celular”, enumera a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Negociações. O estudo indica que 84% dos consumidores inadimplentes e também ex-inadimplentes (que tiveram nome sujo nos últimos cinco anos) procuraram ou foram procurados pelos credores para um acordo sobre as dívidas em atraso. No geral, 23% dos entrevistados foram procurados pelo credor, sendo que o percentual aumenta para 38% entre os inadimplentes mais jovens.

As empresas de celular são as que mais procuram os devedores para uma possível negociação (46%), seguidas das companhias de outros financiamentos (45%), internet (44%) e de financiamento de carros e motos (43%). Por outro lado, quando a iniciativa parte do consumidor, os resultados indicam que as empresas de TV a cabo estão em primeiro lugar entre as mais procuradas (54%).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave