Conmebol confirma Napout como presidente e Del Nero como vice da Fifa

Napout, de 56 anos, tinha assumido o cargo de presidente interino em agosto do ano passado

iG Minas Gerais | AFP |

Conmebol President Juan Angel Napout talks during Copa Libertadores ' draw ceremony in Luque, Paraguay, Tuesday, Dic. 2, 2014.(AP Photo/Jorge Saenz)
AP
Conmebol President Juan Angel Napout talks during Copa Libertadores ' draw ceremony in Luque, Paraguay, Tuesday, Dic. 2, 2014.(AP Photo/Jorge Saenz)

Na presença dos quatro candidatos à presidência da Fifa em campanha para buscar votos sul-americanos, o paraguaio Juan Angel Napout foi confirmado no cargo de presidente da Conmebol até 2019, no 65º congresso da entidade, realizado na sua sede de Luque, perto de Assunção.

O dirigente também foi eleito vice-presidente da Fifa para representar a Conmebol no comitê executivo da entidade que rege o futebol mundial, ao lado de Marco Polo Del Nero, que assumirá a presidência da CBF no dia 16 de agosto.

Napout, de 56 anos, tinha assumido o cargo de presidente interino em agosto do ano passado, no lugar do uruguaio Eugenio Figueredo.

Ele foi eleito nesta quarta-feira, por unanimidade dos 10 membros da confederação sul-americana, colocando o Paraguai de volta à frente da entidade, depois do presidente histórico Nicolás Leoz, que permaneceu no cargo por 27 anos, de 1986 a 2013.

O Congresso foi realizado na presidência de Joseph Blatter, presidente da Fifa, que busca aos 78 anos um quinto mandato, e dos três candidatos que querem desbancá-lo, o ex-craque português Luis Figo (42), o príncipe jordaniano Ali bin Al Hussein (39), um dos vice-presidentes da Fifa, e Michael van Praag (67), presidente da Federação holandesa.

O presidente da Uefa, Michel Platini, que preferiu não se candidatar apesar de ser cotado como o único capaz de derrubar o suíço, também esteve presente na capital uruguaia.

Luta contra o racismo Numa entrevista coletiva ao lado de Blatter, Napout afirmou que suas principais prioridades eram a luta contra a violência e o racismo, além do desafio de manter quatro vagas diretas e outra por repescagem para a América do Sul na Copa do Mundo.

"Violência e racismo são problemas que abalam as nossas sociedades, não apenas nos campos de futebol. Tenho certeza que a Fifa e o senhor Blatter vão ajudar", afirmou o presidente eleito da Conmebol.

O paraguaio também disse ter como meta implementar melhorias na arbitragem, com uso da tecnologia. "Um grande espetáculo requer uma grande arbitragem. Os árbitros estão sujeitos a erros e pensamos em tecnologia de punta", opinou.

Já Blatter destacou a importância da função social do esporte. "Precisamos lutar contra os inimigos do esporte", avisou.

Um dirigente precoce Ex-jogador de futebol amador, Napout é filho do já falecido Miguel Angel Napout, empresário que fez fortuna na distribuição de cigarros estrangeiros e patrocinou vários torneios esportivos, além de ser dirigente do Cerro Porteño, um dos clubes mais populares do Paraguai.

Seu irmão, Oscar Emilio, jogou da seleção nacional de tênis em confrontos da Copa Davis, junto com Víctor Manuel Pecci, vice-campeão de Roland Garros em 1979.

Seus primeiros passos como dirigente de futebol foram em 1988, quando chegou à vice-presidência do Cerro Porteño com apenas 26 anos, antes de ser eleito presidente em 1990.

Na Conmebol, começou trabalhando no departamento de relações públicas em 1993. Napout também esteve à frente da delegação do Paraguai na Copa do Mundo de 1998, quando a seleção foi eliminada nas oitavas de final pela campeã França, e chefiou o comitê organizador da Copa América de 1999, disputada no seu país.

Em 2003, foi eleito vice-presidente da Associação Paraguaia de Futebol, e chegou à presidência em 2007.

Leia tudo sobre: conmebolnapoutpresidentevicedel nerofutebol