DNA comprova que corpo encontrado em Matozinhos é de estudante

Taísa Pereira Saraiva, de 17 anos, estava desaparecida desde o dia 3 de novembro de 2014; corpo foi encontrado em gruta de Matozinhos, 18 dias depois; suspeito está foragido

iG Minas Gerais | Da Redação |

Taíza usava esta blusa preta de formandos no dia do sumiço
FACEBOOK / REPRODUÇÃO
Taíza usava esta blusa preta de formandos no dia do sumiço

A Polícia Civil identificou como sendo de Taísa Pereira Saraiva, de 17 anos, o corpo encontrado em 21 de novembro de 2014, em uma gruta da zona rural de Matozinhos, região Central de Minas.

De acordo com o delegado Marcos Vinicius Martins, da 8° Delegacia de Polícia Civil de Matozinhos, a identificação foi comprovada por meio de exame de DNA realizado no Instituto Médico Legal.

A adolescente estava desaparecida desde o dia 3 de novembro, quando foi vista, por volta das 11h20, na saindo da escola, no centro da cidade. O desaparecimento foi comunicado à Polícia Civil pelos familiares da vítima. A hipótese de homicídio passou a ser a principal linha de trabalho.

Os levantamentos revelaram que Taísa, que era evangélica e tinha um comportamento bastante recatado, vinha sofrendo assédio por parte de seu vizinho Ângelo Márcio de Melo, mais conhecido como Marcinho, tornando-o principal suspeito do crime. Vestígios de sangue, localizados no interior do porta-malas do carro dele foram submetidos também a exame de DNA, apontando que se tratava de sangue de estudante.

Foragido

A constatação se somou a outras provas reunidas no inquérito pela equipe policial, resultando no indiciamento de Ângelo Márcio pelo rapto e morte da estudante, apontando que ele agiu com requintes de crueldade e violência, motivado pela atração sexual que sentia pela vítima, que não correspondia às suas investidas.

Foragido desde o início das investigações, Ângelo Márcio atualmente tem um mandado de prisão preventiva em aberto. O delegado acredita que a divulgação da foto do suspeito poderá resultar no surgimento de denúncias por parte de outras vítimas dele.

A expectativa é também de que a população auxilie e sua localização, fornecendo informações sobre seu paradeiro, por meio do Disque-Denúncia 181.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave