Arenas da Copa América foram usadas como centro de tortura no Chile

O estádio Nacional de Santiago foi utilizado como prisão para cerca de 40.000 presos políticos da ditadura de Augusto Pinochet

iG Minas Gerais | AFP |

O estádio Nacional é a principal arena que vai receber jogos da competição sul-americana
Divulgação/ Conmebol
O estádio Nacional é a principal arena que vai receber jogos da competição sul-americana

Três dos nove estádios que receberão em junho partidas Copa América no Chile carregam um passado doloroso: foram usados como centros de detenção e tortura durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

"Passamos fome, frio, maus-tratos, e vimos gente morrer", lembra à AFP Manuel Méndez, de 66 anos, no subsolo do estádio Nacional de Santiago, onde ficou preso durante 50 dias.

O setor com velhas arquibancadas de madeira foi mantido intacto, como vestígio dos horrores da ditadura, que deixou mais de 3.200 vítimas.

"No lugar onde estamos pisando, havia as nossas 'camas'. Dormíamos no chão mesmo. Nos davam apenas um cobertor, e não dava para deixá-lo aí, se não a gente apanhava", acrescenta.

A arquibancada foi preservada depois de uma recente renovação do maior estádio do país, e destoa no meio dos assentos de plástico vermelhos colocados nos outros setores.

Cerca de 40.000 presos políticos foram detidos no recinto, e outros milhares no estádio de Playa Ancha, em Valparaíso, e em Concepción.

Leia tudo sobre: copa americachileditadurapinochetjogosbrasil