Um terço do salário de Valdivia paga o mês de todo o time adversário

O Vitória da Conquista enfrentará o Palmeiras nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil e espera arrecadar pelo menos 1 milhão com a bilheteria

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Novela Valdivia terá novos capítulos nos próximos dias
Reprodução/Facebook
Novela Valdivia terá novos capítulos nos próximos dias

Rival do Palmeiras pela primeira fase da Copa do Brasil, o Vitória da Conquista possui em seu elenco 30 jogadores que veem a partida desta quarta-feira (4) como uma grande chance de visibilidade para conseguir um contrato melhor para a sequência da temporada.

O clube conta com a renda da bilheteria e a ajuda do empresariado local para pagar sua folha salarial que gira em torno de R$ 150 mil. O valor é três vezes menor do que Valdivia recebe do Palmeiras -aproximadamente R$ 500 mil. Em recuperação de uma contusão muscular, o chileno não joga desde o dia 7 de dezembro.

A expectativa é que o estádio Lomanto Júnior, o Lomantão, esteja lotado para a partida. O clube colocou 13 mil ingressos à venda com os preços que giram entre R$ 60 e R$ 200 e espera arrecadar aproximadamente R$ 1 milhão (valor bruto).

De acordo com o regulamento da Copa do Brasil, o mandante da partida fica com a renda total desde que aconteça o jogo da volta. Caso contrário, o clube classificado fica com 60%.

Se o Palmeiras vencer o rival por dois gols de diferença elimina a partida de volta. De olho na arrecadação, o presidente do Vitória da Conquista, Ederlane Amorim, 47, promete dar um bicho -incentivo financeiro- aos jogadores caso consigam disputar o segundo jogo.

"A gente administra o que arrecada e não devemos nada para ninguém. Neste ano, investimos um pouco mais na nossa folha salarial em razão do jogo contra o Palmeiras, que terá uma boa bilheteria. Por isso, conseguimos trazer jogadores experientes como o Viáfara [goleiro] e o Paulo Almeida", disse o mandatário.

"Sabemos o abismo que existe entre o nosso time e o Palmeiras. Queremos primeiramente levar o jogo para São Paulo. Ganharíamos financeiramente, em visibilidade e sustentação da marca", acrescentou o dirigente, que diz que investirá parte do valor arrecadado no futebol com a intenção de levar o time à Série C do Brasileiro -disputou a quarta divisão em 2014.

HISTÓRIA

Fundado oficialmente em janeiro de 2005, o Esporte Clube Primeiro Passo Vitória da Conquista surgiu através de um trabalho voltado para a inclusão social idealizado pelo atual presidente Ederlane Amorim.

"Sou mineiro, mas moro na cidade desde os seis anos. A cidade gosta muito de futebol, mas ficou sem um time profissional por quase quatro anos. Por isso, despertei o desejo de ter um time", explicou Amorim, que foi ex-jogador de futebol e atuou em vários clubes do interior de São Paulo. "Fui mais determinado do que talentoso", completou o dirigente, que após assumir o clube se formou em administração.

Leia tudo sobre: palmeirasvitoria da conquistafutebolcopa do brasil