Prefeitura de BH vai investigar todas as mortes em acidentes com Move

Prefeito Marcio Lacerda admite que ônibus trafegam em "maior velocidade"; nos últimos 20 dias, pelo menos três pessoas morreram em acidentes relacionados ao sistema

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Homem foi atropelado ao colocar a cabeça para fora da cabine para ver se o ônibus já estava chegando
LEONARDO ALVARENGA
Homem foi atropelado ao colocar a cabeça para fora da cabine para ver se o ônibus já estava chegando

A Prefeitura de Belo Horizonte vai investigar todos os acidentes com ônibus do Move que provocaram mortes. Em apenas 20 dias, foram três óbitos em acidentes com coletivos do sistema. Uma quarta morte, ocorrida na avenida Antônio Carlos na manhã desta quarta-feira (4), é investigada para determinar se o atropelamento causou o óbito ou se uma briga anterior foi o motivo.

Em entrevista à rádio CBN durante evento de lançamento do primeiro Festival Literário de Belo Horizonte nesta quarta, o prefeito Marcio Lacerda admitiu que os veículos do Move trafegam em "maior velocidade". "Pela sua particularidade de faixa exclusiva e de uma velocidade maior, naturalmente as pessoas que atravessam fora das faixas e do semáforo enfrentam um risco maior. Vamos verificar as circunstâncias de cada acidente fatal para que se corrija de alguma maneira", disse.

Lacerda ainda afirmou que a prefeitura está estudando a ampliação do Move para a região Oeste de Belo Horizonte, e que ajustes estão sendo feitos nas estações Pampulha e São Gabriel. Portas, escadas, elevadores e monitores estragados atrapalham o sistema, segundo usuários, que reclamam com frequência.

Menos carros nas ruas

O prefeito Marcio Lacerda citou uma "pesquisa interna" que apontou que 25 mil pessoas teriam deixado de usar carros no último ano, após o lançamento do Move. "Nós temos problemas que geram necessidade de ajuste, mas pesquisa interna que nós fizemos entre os usuários aponta que o índice de aprovação (do Move) é muito elevado, próximo de 80%. A notícia de que 25 mil pessoas abandonaram o automóvel para usar o Move mostra um avanço. Não era o principal objetivo, mas significa que o transporte coletivo melhorou", disse o prefeito. A pesquisa não foi divulgada. 

Leia tudo sobre: Move; Marcio Lacerda; PBH