Caminhoneiros reduzem manifestações no país

RS, PR, SC, MT e SP tiveram nesta terça bloqueios em estradas

iG Minas Gerais |

Filas.  
Em Santa Catarina ontem, caminhoneiros ainda mantinham bloqueios em algumas estradas
Nilson Bastian / Câmara dos D
Filas. Em Santa Catarina ontem, caminhoneiros ainda mantinham bloqueios em algumas estradas

PORTO ALEGRE. Um dia após a presidente Dilma Rousseff sancionar a Lei dos Caminhoneiros, os bloqueios em rodovias tiveram nesta terça a menor intensidade desde o início dos protestos há duas semanas. No final da tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrava apenas sete pontos de interdições parciais no Rio Grande do Sul. Havia outras duas manifestações, mas sem bloqueio. Equipes da PRF e da Força Nacional acompanhavam a mobilização prontas para agir em caso de interdição. Na noite de segunda-feira foram registrados confrontos com caminhoneiros no Estado.

Em Santa Catarina, manifestantes concentravam-se em 13 locais, mas as pistas estavam liberadas. O dia começou com cinco trechos bloqueados no oeste catarinense, mas todos haviam sido desobstruídos até a noite desta terça.

Os bloqueios também foram suspensos no Paraná e em Mato Grosso. Em alguns municípios mato-grossenses houve falta de combustível, gás de cozinha e água mineral.

No oeste do Estado de São Paulo, 200 caminhoneiros bloquearam nesta terça de manhã a rodovia Raposo Tavares, em duas cidades: Presidente Prudente e Palmital. No início da tarde, a rodovia foi desbloqueada pelos manifestantes, segundo a PRF.

Reivindicações. A categoria, que quer redução do preço do óleo diesel, melhor preço para o frete, flexibilização das regras para financiamento de veículos e melhores condições de trabalho, teve parte das reivindicações atendidas depois da sanção da Lei dos Caminhoneiros. Dentre as medidas estão a isenção de pagamento de pedágio para cada eixo suspenso de caminhões vazios e perdão das multas por excesso de peso expedidas nos últimos dois anos.

Brasília. O movimento grevista dos caminhoneiros chegou a Brasília. Depois de um acordo com o governo local, um grupo de 20 caminhoneiros foi autorizado a estacionar em torno do Estádio Nacional Mané Garrincha.

Por volta das 10h, cerca de 30 caminhões chegaram a ser escoltados por equipes do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar até o estádio. O primeiro veículo tocava o hino nacional e o restante, estampava faixas em verde e amarelo. Os veículos contornaram o estádio passando pelo Tribunal de Contas.

Havia uma expectativa de que os caminhoneiros promovessem um buzinaço na Esplanada dos Ministérios, mas este protesto foi adiado.

Audiência

Governo. Há a expectativa de que hoje haja uma audiência dos caminhoneiros com o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Miguel Rossetto. Parlamentares receberam os motoristas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave