Dólar tem maior alta dos últimos dez anos no país

Moeda norte-americana fechou no pregão nesta terça a R$ 2,92

iG Minas Gerais |

Para o alto.
 Divisa dos EUA não subia tanto desde setembro de 2004, quando foi cotada a R$ 2,940
Marcos Santos/USP Imagens
Para o alto. Divisa dos EUA não subia tanto desde setembro de 2004, quando foi cotada a R$ 2,940

SÃO PAULO. O dólar fechou pela primeira vez acima de R$ 2,90 em mais de 10 anos, refletindo o quadro de persistentes preocupações com os fundamentos econômicos brasileiros e com investidores testando a tolerância do Banco Central ao fortalecimento da moeda norte-americana.

A moeda dos Estados Unidos fechou nesta terça em alta de 1,14%, a R$ 2,928 na venda, a máxima da sessão e o maior nível de fechamento desde 2 de setembro de 2004, quando ela foi a R$ 2,940.

Segundo a agência Reuters, na reta final da sessão o dólar ampliou os ganhos, em meio a especulações sobre a lista preparada pela Procuradoria Geral da República (PGR) com os políticos envolvidos na operação Lava Jato a ser enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro nesta terça ficou em torno de US$ 1,4 bilhão.

Investidores têm mostrado menor apetite por ativos brasileiros diante da perspectiva de que, mesmo se o ajuste for bem-sucedido em resgatar a credibilidade da política fiscal, a inflação no Brasil deve fechar 2015 acima de 7% e o país deve mostrar contração econômica.

Desde 30 de janeiro, quando o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou que não manteria artificialmente a taxa de câmbio, o dólar já subiu 11%. No ano, a alta é de 9,67%.

O principal instrumento do BC para a alta do dólar é a venda de contratos que equivalem à compra de dólar no futuro, conhecido como swap cambial tradicional. Nessa operação, o BC se compromete a pagar em reais a variação do dólar em uma determinada dada, geralmente o início do mês.

Isso retira a pressão de alta do dólar nos mercados à vista e futuro. Se o BC reduzir a oferta desses contratos, automaticamente, deixa de segurar as cotações. Na sexta, o BC anunciou um leilão desses instrumentos menor do que o habitual, sinalizando que só deve rolar em torno de 80% do total de US$ 9,964 bilhões de contratos existentes no mercado.

Bovespa

Alta. O Ibovespa fechou nesta terça com uma alta de 0,56% e foi a 51.304 pontos no pregão. Das 68 ações negociadas no pregão, 40 subiram, 26 caíram e outras duas mantiveram-se estáveis.

Juros básicos devem subir BRASÍLIA. O Comitê de Política Monetária (Copom) deve elevar hoje a taxa básica de juros dos atuais 12,25% ao ano para 12,75% ao ano, segundo o Relatório de Mercado Focus, que foi divulgado nesta terça. A projeção já constava no documento anterior, mas os analistas que participam da pesquisa semanal do BC elevaram a estimativa para a taxa básica de juros no final do ano de 12,75% ao ano para 13,00% ao ano – um mês atrás, a mediana das expectativas estava em 12,50% ao ano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave