Toda a multiplicidade de Efigênia

“Eles Também Falam de Amor” volta nesta quinta, pela 41ª Campanha

iG Minas Gerais | lucas buzatti |

Peça é baseada na vida e na obra da artista popular Efigênia Rolim
©netun lima
Peça é baseada na vida e na obra da artista popular Efigênia Rolim

Mineira de Abre Campo, Efigênia Rolim é uma das artistas populares mais ímpares do Brasil. Ex-lavradora, ela ficou conhecida por seu trabalho manual com objetos que, para muitos, são apenas lixo: bonecas quebradas, embalagens, caixas, pedaços de papel e de plástico. Anos depois de se mudar para Curitiba, em 1960, Efigênia ganhou o título de “Rainha do Papel de Bala”, por conta das roupas que desenvolve com o material plástico. Mas se engana quem pensa que seu legado artístico para por aí: os figurinos de papel de bala ocupam somente um espaço em sua criação artística, completada por diversas esculturas, poemas e músicas.

A importância de Efigênia Rolim – hoje, aos 83 anos – é comprovada pelo número de produtos que sua vida e obra inspiraram. São livros, filmes e até espetáculos teatrais, como “Eles Também Falam de Amor”, que será apresentado em Belo Horizonte nesta quarta e quinta, no Sesc Palladium, pela 41ª Campanha de Popularização do Teatro & Dança.

Montado por suas sobrinhas-netas Lélia e Miriam Rolim, a peça recria a história de Efigênia, refletindo toda a sua multiplicidade artística e pessoal. “São três atores, de diferentes perfis, e todos interpretam ela. Um deles, inclusive, é homem. A ideia é mostrar, sob diferentes perspectivas, essa pessoa múltipla que Efigênia é”, explica Miriam Rolim.

Os figurinos também ajudam a remontar a identidade estética desenvolvida pelo trabalho de Efigênia. “Tanto os figurinos quanto o palco foram feitos com peças produzidas por ela ou pela equipe, inspiradas em seu trabalho”, diz Miriam. “As falas também vêm de poemas de Efigênia, e as músicas são dela”, completa. Miriam explica que o espetáculo foi concebido de forma poética e não linear, tal qual o estilo de Efigênia. “Ela tem uma forma de viver muito característica, que beira a loucura mas que, na verdade, é de uma coerência impressionante”, afirma.

Dentre as características da tia-avó – que concedeu sua bênção ao espetáculo em fevereiro do ano passado –, Miriam destaca duas que seriam as mais contundentes. “A primeira é a capacidade que ela tem de criar em todas as vias artísticas, seja na literatura, na música ou nas artes plásticas. A segunda é a alegria e o entusiasmo de viver. Ela teve uma vida complicada, cheia de dificuldades, mas não canalizou isso na tristeza. Pelo contrário, é uma pessoa muito feliz e otimista”, diz.

Agenda

O QUÊ. Espetáculo “Eles Também Falam de Amor”

QUANDO. Nesta quinta, às 18h30, e sexta-feira, às 20h30

ONDE. Sesc Palladium (avenida Augusto de Lima, 420, centro)

QUANTO. R$ 10

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave