Videogame vira remédio para 'olho preguiçoso'

Jogo ataca ambliopia, condição oftálmica geralmente confundida com estrabismo, em que olho de uma pessoa fica fora de sincronia com cérebro

iG Minas Gerais | AFP |

Gigante francesa dos videogames criou o jogo
AFP
Gigante francesa dos videogames criou o jogo "Dig Rush" em colaboração com a startup de tecnologia para saúde Amblyotech, utilizando uma técnica patenteada por inventores da universidade McGill, do Canadá

O mundo da brincadeira se uniu ao da saúde quando a empresa Ubisoft revelou nesta terça-feira um videogame para tablets desenvolvido especialmente para tratar uma condição médica chamada ambliopia, também conhecida como "olho preguiçoso".

A gigante francesa dos videogames criou o jogo "Dig Rush" em colaboração com a startup de tecnologia para saúde Amblyotech, utilizando uma técnica patenteada por inventores da universidade McGill, do Canadá.

"É uma boa amostra do impacto positivo que a tecnologia dos videogames pode ter em nossa sociedade", disse o produtor-chefe da Ubisoft, Mathieu Ferland.

O jogo ataca a ambliopia, condição oftálmica geralmente confundida com o estrabismo, em que o olho de uma pessoa fica fora de sincronia com o cérebro. A condição afeta 3% da população mundial e, se não for tratada, pode causar cegueira de um dos olhos, segundo o chefe-executivo da Amblyotech, Joseph Koziak.

"Quando você olha alguém que sofre desta doença, um olho aparece visualmente desalinhado em comparação ao outro", disse Koziak.

A ambliopia faz com que um olho seja muito menos útil que o outro. Para se ajustar à situação, o cérebro responde suprimindo a informação visual proveniente deste olho e confia apenas no que o olho saudável enxerga, explicou Koziak.

Quando esta situação se prolonga, o fato de que o cérebro só processe a informação do olho bom acaba na perda total da percepção do olho debilitado.

O jogo "Dig Rush" força ambos os olhos a participar do ato de olhar para poder jogar o jogo. Os personagens, os times e os cenários estão postos sobre um fundo que pode ser vermelho ou azul, e os jogadores devem usar óculos que filtram uma cor ou outra dependendo do olho.

"A única maneira de jogar este jogo é forçando o paciente a usar ambos olhos", explicou Ferland. "Este tratamento treina o cérebro na utilização dos dois olhos".

 

- O jogo, uma prescrição médica -

A startup Amblyotech está buscando a aprovação das agências reguladoras norte-americanas para que o "Dig Rush" seja prescrito pelos médicos e que provedores de saúde pública forneçam tablets como ferramentas para o tratamento e controle do progresso.

Os testes mostraram que o "Dig Rush" é 90% eficaz na melhoria da visão das pessoas que sofrem da condição, segundo o presidente da empresa, Robert Derricotte.

Os tratamentos atuais são relativamente ineficientes e envolvem um tampão que a pessoa usa no olho dominante, a fim de forçar o olho debilitado a trabalhar o cérebro. Mas isso deixa os pacientes sem percepção 3D, explicou Derricotte.

"Os médicos têm prescrito tampões aos pacientes há 200 anos. Esta é uma maneira radicalmente nova de tratar a ambliopia".

O preço do jogo ainda não foi divulgado.

Koziak ressaltou que o "Dig Rush" é o primeiro de uma nova série de tratamentos que usam tablets em substituição aos métodos médicos tradicionais.

"Vejo este tablet como a seringa do futuro, mas nessa usamos um equipamento visual para administrar o remédio no paciente", comparou Koziak.

"Ainda que isto seja para um transtorno ocular, haverá outras condições médicas no futuro que poderão ser tratadas através deste tipo de método".

Leia tudo sobre: Videogame'olho preguiçoso'