Câmara brasileira aprova comissão para apurar prisão de prefeito

Prisão gerou polêmica porque Antonio Ledezma é um dos principais opositores do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

iG Minas Gerais | Folhapress |

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (3) a criação de uma comissão externa para apurar as circunstâncias e os desdobramentos da prisão do prefeito metropolitano de Caracas, Antonio Ledezma, realizada no último dia 19 pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

A prisão está envolta em polêmica porque Ledezma é um dos principais opositores do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

O requerimento para a criação da comissão é do líder do PPS, Rubens Bueno (PR). Suas atividades devem provocar custos à Câmara, porque preveem a viagem de deputados à Venezuela para apurar as circunstâncias do fato.

Na justificativa do requerimento, Bueno diz que o objetivo é "prover condições para que nós, deputados federais brasileiros, tenhamos consciência sobre a verdadeira situação da Venezuela e sobre as condições nas quais a oposição é exercida naquele país, para que possamos nos posicionar de forma íntegra e imparcial sobre o tema".

Afirma ainda que respeitam a "soberania venezuelana, sendo um gesto no sentido de o Parlamento brasileiro contribuir para o povo e as instituições da Venezuela superarem a atual situação".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave