Quênia queima 15 toneladas de marfim para combater tráfico

A queima deste material "faz parte da política do governo queniano para evitar que seja comercializado o marfim", disse o presidente do país, Uhuru Kenyatta

iG Minas Gerais | AFP |

15 toneladas de marfim foram queimadas no Quênia
CARL DE SOUZA / AFP
15 toneladas de marfim foram queimadas no Quênia

O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, incendiou uma pilha de 15 toneladas de marfim, nesta terça-feira, e prometeu que até o final do ano serão destruídos todos os estoques de marfim extraídos dos elefantes africanos.

A queima deste material "faz parte da política do governo queniano para evitar que seja comercializado o marfim", disse Kenyatta, enquanto acendia uma grande fogueira com as presas. Ele acrescentou que também será incendiado o restante das reservas, estimadas em cerca de 100 toneladas.

"O que temos feito para proteger a biodiversidade é muito pouco, se compararmos com as ameaças que se sobrepõem ao meio ambiente", declarou o estadista durante a Dia Mundial da Vida Selvagem.

O quilo de marfim está cotado em torno de US$ 2.100 na China. A quantidade incinerada nesta terça representa um valor de mercado próximo a US$ 30 milhões.

"Esta é a maior quantidade de marfim queimada na África", comemorou Iain Douglas-Hamilton, fundador da ONG Save the Elephants (Salve os Elefantes, em livre tradução).

Os números oficiais estimam que uma centena de elefantes sejam mortos a cada ano no país, mas especialistas avaliam que a matança está muito subestimada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave