Câmara revoga o chamado 'bolsa-cônjuge' dos deputados

O deputado que quiser utilizar o benefício terá que realizar um pedido para a Mesa Diretiva que irá analisar caso a caso

iG Minas Gerais | da redação |

Eduardo Cunha foi eleito com mais de 200 mil votos.
Valter Campanato/Agência Brasil Eduardo Cunha
Eduardo Cunha foi eleito com mais de 200 mil votos.

O benefício de passagens para cônjuges foi revogado, nesta terça-feira, pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O deputado que quiser utilizar o benefício terá que realizar um pedido para a Mesa Diretiva que irá analisar caso a caso. As informações são do portal "G1".

Cunha afirmou que a Câmara deve andar em sintonia com a sociedade e levar em conta a opinião pública.

Apesar do chamado "bolsa-cônjuge" ter sido revisto, outros benefícios, como o aumento aprovado na semana passada para despesas parlamentares, será mantido. Os deputados poderão gastar mais com verba de gabinete, auxilio-moradia e cota parlamentar, que inclui gastos com deslocamento.

Esse aumento implicará em um gasto de R$ 110 milhões neste ano, já que passará a ser aplicado em abril. A expectativa é de que em 2016, o gasto será em torno de R$ 150 milhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave