Mudança estratégica para formar novos públicos e democratizar

Cineclube do Centro Cultural da UFMG inicia nova fase de olho no público do hipercentro da capital

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |



Clássico “Cantando na Chuva” abre programação do novo CineCentro
MGM/DIVULGAÇÃO
Clássico “Cantando na Chuva” abre programação do novo CineCentro

Já há algum tempo, o projeto CineCentro do Centro Cultural da UFMG realiza mostras temáticas – em torno de gêneros como musicais ou filmografias de diretores e países. “Só que a gente só reunia um público de especialistas: quem é apaixonado por faroeste vinha ver faroeste”, explica Rodrigo Vivas, diretor do Centro.

Para ampliar um pouco esse perfil, o projeto inicia nesta terça, às 19h, sua programação 2015 com algumas mudanças. Em vez das mostras temáticas, o CineCentro passa a exibir clássicos de diversos gêneros, reconhecidos pela crítica e não mais em cartaz no circuito comercial. “Em vez de ir para casa e pegar um trânsito horrível, queremos que as pessoas passem 1 hora a mais no Centro e vejam um bom filme”, propõe Vivas, sobre a estratégia de conquistar o público do hipercentro da capital.

O escolhido para dar início a essa nova fase é “Cantando na Chuva”, o delicioso musical sobre a transição do cinema mudo para o sonoro estrelado e dirigido por Gene Kelly em 1952. “Ele é uma expressão da leveza e da arte no mesmo espaço. Não precisa ser especialista para reconhecer sua potência e sua beleza”, avalia o diretor.

Essa combinação de valor artístico e apelo popular é exatamente o que o novo CineCentro deseja. “Sem criar um distanciamento com o público, nem achar que o cinema de arte está associado a uma discussão sem fim de conceitos”, argumenta Vivas. Com exibições sempre às terças-feiras e quintas-feiras, a programação de março vai contar ainda com “Como Agarrar um Milionário”, “A Ponte do Rio Kwai”, “Aconteceu Naquela Noite”, “Os Doze Macacos”, “Grandes Esperanças”, “Trinity é o Meu Nome” e “O Tesouro de Sierra Madre”.

As mudanças no projeto estão alinhadas com o novo programa do Centro Cultural UFMG, centrado em torno dos temas memória e experimentação. “A ideia e sempre lidar com o clássico, mas pensando o circuito cultural de BH, especialmente quem não tem acesso, e nossa função de revitalizar o hipercentro como espaço cultural vivo”, descreve o diretor.

Segundo ele, o objetivo é usar o CineCentro como porta de entrada para aquele transeunte que talvez não tenha tanto contato com performances, exposição ou teatro. Mas que, ao entrar ali, começa a se familiarizar com esse universo. “Gostaríamos de criar uma cultura mais associada às várias linguagens e tudo de forma gratuita”, sintetiza.

Agenda

O que. CineCentro UFMG

Quando. Nesta terça, às 19h

Onde. Centro Cultural UFMG (av. Santos Dumont, 174, centro)

Quanto. Entrada gratuita

programação completa: www.ufmg.br/centrocultural

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave