Dona Jandira e as mulheres

Em show de homenagem às mulheres, cantora sobe ao palco do Teatro Francisco Nunes com convidadas especiais

iG Minas Gerais | lucas buzatti |

União feminina. Dona Jandira se juntou a oito mulheres, cantoras e compositoras, para apresentar “Elas Cantam o que Há de Novo”
silvana frança/divulgação
União feminina. Dona Jandira se juntou a oito mulheres, cantoras e compositoras, para apresentar “Elas Cantam o que Há de Novo”

“Tem mulher que chega aos 50 anos e age como se a vida já tivesse acabado. Sou uma prova de que a coisa não é por aí”, defende Dona Jandira, animada para subir ao palco novamente. Aos 76 anos, a cantora e compositora alagoana – que reside em Minas Gerais há 25 anos – esbanja gás e criatividade: “Eu penso e realizo o tempo todo. Comecei a cantar profissionalmente somente aos 66 anos. Nada me incomoda, nada é difícil demais para mim”.

Dona Jandira sabe que é um exemplo de vitalidade e determinação para outras mulheres. Por isso, escolheu fazer o próximo show do projeto Encontro de Compositores (capitaneado por ela, desde 2013), nesta quarta, ao lado de quatro cantoras e compositoras. O espetáculo “Elas Cantam o que Há de Novo” acontece nesta quarta, no Teatro Francisco Nunes, em homenagem ao Mês das Mulheres.

Aprovadas por edital, em 2013, quatro compositoras vão apresentar seus trabalhos autorais: Dona Elisa, Evani Policarpo, Suelly Louzada e Cassia Silva. “Nem todas as compositoras são cantoras. Por isso, cada uma delas pôde escolher uma cantora para interpretar suas canções. Além de mim, é claro”, explica a sempre bem-humorada Dona Jandira. As cantoras escolhidas foram Vitoria Regina, Eda Costa, D’aiolla e Nayana Castro.

Dona Jandira afirma que a escolha das compositoras rendeu um repertório bem eclético, que mistura samba, xote e música regional. “São artistas de muito talento, e de diferentes gerações. Tem desde cantoras e compositoras estreantes, que ainda não conhecem muito do palco, até representantes da velha guarda, como Dona Elisa”, explica, referindo-se à sambista mineira premiada no último Carnaval de Belo Horizonte pelo samba-enredo “Tudo que Venda Nova Toca Vira Ouro”, da escola Acadêmicos de Venda Nova.

A oportunidade de se apresentar num teatro como o Francisco Nunes também é, segundo Dona Jandira, um privilégio da trupe feminina escolhida para o espetáculo. “Tem muitas meninas que ainda são bem tímidas, que precisam de uma oportunidade para se mostrar. Afinal, o mercado está sempre precisando de gente talentosa”, ressalta Dona Jandira.

Para Suelly Louzada, o espetáculo ajuda a mostrar que a composição está longe de ser uma atividade exclusivamente masculina. “É importante mostrar que muitas mulheres são responsáveis por composições de alto nível. Somos iguais nisso também”, diz a artista, que apresentará uma música regional, baseada nas belezas e paisagens de Minas.

Dona Jandira finaliza o papo contando que batalha, ainda, na captação de recursos para o lançamento de seu segundo disco. “Já são dez anos de carreira, um disco e um DVD. Pode parecer pouco, mas para uma pessoa da minha idade é uma coisa grandiosa”, anima-se. “Eu passei a vida toda cantando, mas só fui mostrar isso ao mundo em 2005. Nunca tive a pretensão de chegar aonde cheguei. Canto porque sou feliz assim”, diz.

Agenda

O QUÊ. Dona Jandira e convidadas apresentam: “Elas Cantam o que Há de Novo”

QUANDO. Nesta quarta, às 20h

ONDE. Teatro Francisco Nunes (avenida Afonso Pena, centro, dentro do Parque Municipal)

QUANTO. R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

MAIS INFORMAÇÕES. (31) 3277-6325

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave