Dilma sanciona sem vetos Lei dos Caminhoneiros, exigência de grevistas

A sanção integral era um dos pedidos dos grevistas e parte do pacote de medidas que o governo ofereceu aos caminhoneiros grevistas na semana passada

iG Minas Gerais | Folhapress |

Brazil's President Dilma Rousseff, presidential candidate for re-election of the Workers Party, PT, talks about the results of the general elections during a press conference, in Brasilia, Brazil, Sunday, Oct. 5, 2014. Official results showed Sunday that President Dilma Rousseff will face challenger Aecio Neves, in a second-round vote in Brazil's most unpredictable presidential election since the nation's return to democracy nearly three decades ago. (AP Photo/Eraldo Peres)
AP
Brazil's President Dilma Rousseff, presidential candidate for re-election of the Workers Party, PT, talks about the results of the general elections during a press conference, in Brasilia, Brazil, Sunday, Oct. 5, 2014. Official results showed Sunday that President Dilma Rousseff will face challenger Aecio Neves, in a second-round vote in Brazil's most unpredictable presidential election since the nation's return to democracy nearly three decades ago. (AP Photo/Eraldo Peres)

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta segunda-feira (2), sem vetos, a nova Lei dos Caminhoneiros. A norma, que altera uma lei anterior de 2012, será publicada no "Diário Oficial da União" da terça.

A sanção integral era um dos pedidos dos grevistas e parte do pacote de medidas que o governo ofereceu aos caminhoneiros grevistas na semana passada.

A condição para a implementação das medidas era o fim das paralisações. Apesar de ainda existir bloqueios nas estradas do país, o Planalto considera que eles são pontuais e logo terminarão.

Segundo nota do Planalto, a lei trará para os caminhoneiros as seguintes vantagens:

- Pedágio gratuito por eixo suspenso para caminhões vazios; - Perdão das multas por excesso de peso recebidas nos últimos dois anos; - Os contratantes do frete, e não os motoristas, serão responsabilizados pelo excesso de peso e transbordamento de carga.

Além da sanção, a nota do afirma, sem dar detalhes, que o governo "tomará as medidas necessárias" para concretizar outra promessa feita aos caminhoneiros na semana passada: a suspensão por 12 meses do pagamento das parcelas de financiamentos de caminhões comprados por meio de duas linhas de crédito do BNDES --Finame e ProCaminhoneiro.

O PROTESTO

A sanção integral Lei dos Caminhoneiros ocorre em meio a uma retomada dos bloqueios promovidos por caminhoneiros nas estradas em seis Estados: RS, SC, PR, MT, MS e SP.

Os protestos dos caminhoneiros contra o aumento do diesel e pela alta do valor do frete completaram nesta segunda-feira 12 dias. No auge das manifestações, na quarta (25), a categoria bloqueou 129 trechos em 14 Estados --incluindo SP.

No último dia 25, o governo chegou a anunciar um acordo, mas parte da categoria não o reconhece.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave