Fidel Castro recebeu agentes cubanos libertados nos Estados Unidos

Castro destacou que os agentes foram vítimas de uma "caçada desumana", na qual participaram os próprios organismos de investigação americanos

iG Minas Gerais | AFP |

Handout picture released by the official Cuban website www.cubadebate.cu showing Cuban former president Fidel Castro (3-L) holding a meeting with the Cuban Five -- a group arrested in Miami in September 1998 and convicted in 2001 of spying for Cuba's communist government -- at his house in Havana, on February 28, 2015. Three of the former prisoners were released in late 2014 in a prisoner exchange that paved the way for a historic breakthrough in Havana's Cold War standoff with the United States. The trio, who spent more than 15 years behind bars, were the last remaining prisoners from the
AFP
Handout picture released by the official Cuban website www.cubadebate.cu showing Cuban former president Fidel Castro (3-L) holding a meeting with the Cuban Five -- a group arrested in Miami in September 1998 and convicted in 2001 of spying for Cuba's communist government -- at his house in Havana, on February 28, 2015. Three of the former prisoners were released in late 2014 in a prisoner exchange that paved the way for a historic breakthrough in Havana's Cold War standoff with the United States. The trio, who spent more than 15 years behind bars, were the last remaining prisoners from the "Cuban Five." The two other members of the group had already been released after their sentences were reduced. AFP PHOTO / www.cubadebate.cu --- RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO / www.cubadebate.cu" - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS

O líder cubano Fidel Castro recebeu no sábado em sua casa os cinco agentes cubanos condenados nos Estados Unidos por espionagem - deles cumpriram penas e três foram trocados por um espião -, segundo um texto publicado nesta segunda-feira.

"Eu os recebi no sábado 28 de fevereiro, 73 dias depois de terem pisado em terra cubana e fui feliz durante horas ouvindo relatos maravilhosos de heroísmo do grupo", escreveu Castro, que recebeu os agentes em sua residência, na zona oeste de Havana.

Além do texto, o jornal oficial Granma publicou 13 fotografias do encontro, que durou cinco horas. Fidel Castro, muito magro, aparece nas imagens com uma roupa esportiva azul e camisa branca.

Em todas as fotografias, Castro, 88 anos, afastado da vida pública desde 2006, aparece sentado. Em algumas imagens aparecem sua companheira, Dalia Soto del Valle, e o sobrinho, o coronel Alejandro Castro Espín, filho do presidente Raúl Castro.

O 'pai da revolução cubana' reiterou que Gerardo Hernández, Ramón Labañino, Fernando González, René González e Antonio Guerrero "nunca provocaram qualquer dano aos Estados Unidos", pois apenas "tentavam prevenir e impedir os atos terroristas contra a ilha".

Castro destacou que os agentes foram vítimas de uma "caçada desumana", na qual participaram os próprios organismos de investigação (americanos), e que foram condenados a uma "prisão brutal por juízes venais".

No texto, Fidel Castro explica que demorou a receber os agentes porque "o principal em sua chegada era saudar seus familiares, amigos e o povo, sem descuidar por um minuto da saúde e o rigoroso exame médico".

"Os cinco", como são conhecidos em Havana, foram detidos em 1998 ao lado de 14 pessoas acusadas de integrar a "Rede Avispa", considerado o maior grupo de espiões cubanos detectados em operações nos Estados Unidos.

René e Fernando González foram libertados ao fim de sua condenação. Hernández, Guerrero e Labañino chegaram a Cuba em 17 de dezembro de 2014, depois do histórico anúncio de Raúl Castro e do presidente americano, Barack Obama, de restabelecer as relações entre os dois países, após mais de meio século de ruptura.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave