América e Villa Nova fazem neste domingo tradicional clássico mineiro

Clubes já se enfrentaram 276 vezes e a vantagem nos confrontos é do Coelho, que venceu 105 contra 94 do Leão do Bonfim

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

ESPORTES - BELO HORIZONTE - MG - JOGO TREINO AMERICA VILLA NOVA
Jogo-treino entre America-MG e Vila Nova realizado no CT Lanna Drummond, em Belo Horizonte.
O resultado do jogo foi vitoria do America -MG por 3 a 1.
NA FOTO: Leandro Guerreiro

FOTO: RICARDO MALLACO / O TEMPO -  21.01.2015
RICARDO MALLACO / O TEMPO
ESPORTES - BELO HORIZONTE - MG - JOGO TREINO AMERICA VILLA NOVA Jogo-treino entre America-MG e Vila Nova realizado no CT Lanna Drummond, em Belo Horizonte. O resultado do jogo foi vitoria do America -MG por 3 a 1. NA FOTO: Leandro Guerreiro FOTO: RICARDO MALLACO / O TEMPO - 21.01.2015

América e Villa Nova vão fazer neste domingo, no estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima, um dos mais tradicionais clássicos do futebol mineiro. Ao todo, os clubes se enfrentaram 276 vezes e a vantagem nos confrontos é do Coelho, com 105 vitórias. O Leão do Bonfim venceu 94 jogos e foram registrados ainda 77 empates.

Nos últimos dez anos, entre Campeonato Mineiro e Taça Minas Gerais, América e Villa Nova se enfrentaram 15 vezes e a vantagem é da equipe de Nova Lima, que venceu seis jogos e perdeu dois. Foram registrados ainda sete empates. O Alviverde não superar o alvirrubro desde o Estadual de 2012. Depois, o Villa Nova venceu um jogo e empatou o outro.

Sem ser jogo oficial, América e Villa Nova mediram forças no início desta temporada, em um jogo-treino realizado no CT Lanna Drumond. O Leão do Bonfim saiu na frente com um gol do atacante Diego Clementino, mas o Coelho conseguiu a virada com dois gols do atacante Rodrigo Silva e um de Diney.

Villa Nova e América ocupam, respectivamente, o terceiro e quarto lugares na tabela de classificação do Campeonato Mineiro. Os times estão rigorosamente iguais no número de vitórias, derrotas, empates, saldo de gols e gols sofridos, mas o Leão do Bonfim leva vantagem sobre o Coelho no critério número de cartões vermelhos recebidos.