Ato contra comerciantes chineses termina com 38 presos em Hong Kong

Cerca de 400 pessoas participaram da manifestação, que pedia o fim da permissão de entrada múltipla aos cidadãos da China continental

iG Minas Gerais | Folhapress |

Pelo menos 38 pessoas foram presas nesta segunda-feira (2) durante uma manifestação em Hong Kong contra a entrada de comerciantes chineses na ex-colônia britânica, que terminou em confronto contra a polícia.

Cerca de 400 pessoas participaram da manifestação, que pedia o fim da permissão de entrada múltipla aos cidadãos da China continental, que usam o benefício para comprar mercadorias em Hong Kong e vender no lado chinês.

Eles também pediam mais autonomia política ao território, causa que tem levado os moradores da cidade-estado às ruas desde agosto. Os manifestantes bloquearam os acessos ao bairro de Yuen Long, na divisa com o território chinês, com latas de lixo.

A polícia usou gás lacrimogêneo e spray de pimenta para tentar dispersar a multidão, composta principalmente por estudantes. Os detidos foram acusados de posse de armas, ataques a policiais, obstrução do trabalho da polícia e desordem pública.

O ato foi o terceiro contra os comerciantes chineses. Hong Kong é parte da China desde 1997, mas mantém independência em matéria econômica.

Leia tudo sobre: hong kongmanifestaçãocomerciantes