Força total rumo às semifinais

Sada e MOC fazem clássico estadual, e Minas se preocupa com juventude da sua equipe

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Preparação. 
Central Douglas Cordeiro reforça treinamentos para a fase de play-offs da Superliga
Lincon Zarbietti / O Tempo
Preparação. Central Douglas Cordeiro reforça treinamentos para a fase de play-offs da Superliga

As datas das partidas válidas pelos play-offs da Superliga Masculina só serão divulgadas hoje, mas as três equipes mineiras classificadas para as quartas de final da competição já estão em ritmo de preparação, estudando com afinco seus adversários. Enquanto Sada Cruzeiro e Montes Claros protagonizarão o clássico estadual por uma vaga nas semifinais, o Minas Tênis Clube vai encarar o Vôlei Brasil Kirin.

Mesmo considerado o grande favorito à classificação, e ao título, o Sada adota o discurso do “não vai ter jogo fácil”. Para o técnico Marcelo Mendez, tem sido uma Superliga muito equilibrada. O argentino também não subestima o bom elenco do time de Montes Claros.

“O MOC tem um time muito forte, com jogadores experientes. Alguns já ganharam a Superliga, outros jogaram no exterior, como o Rodriguinho, na Itália”, afirma o técnico, que ressalta que irá com força total para a primeira partida, disputada em casa.

Quem também está preocupado em enfrentar um time mais experiente é Nery Tambeiro, técnico do Minas. “Minha equipe é muito nova, e nesses momentos de play-off, temos que dar muita tranquilidade para os jogadores”, diz.

No turno, a experiente equipe do Brasil Kirin bateu o Minas por 3 a 0 em Belo Horizonte. No returno, a vitória foi dos mineiros, mas o placar foi um apertado 3 a 2 fora de casa. A vitória na última rodada e a garantia do quarto lugar, que vale o direito de jogar uma possível terceira partida em casa, animam o Minas. “A equipe está crescendo na hora certa. Fizemos 20 pontos no turno, e 23 no returno. Estamos com o time no seu melhor momento”, avalia Tambeiro.

Já Marcelinho Ramos, técnico do Montes Claros, não hesita em admitir que sua equipe vai enfrentar a favorita ao título. “A responsabilidade é toda do Sada, mas respeitamos muito o trabalho que tem sido feito em Montes Claros”, afirma o comandante.

Segundo Ramos, num ano de transição, o MOC atingiu seus objetivos de entrar na Copa Brasil e se classificar entre os oito na Superliga. “Só ficamos duas rodadas fora dos oito, então seria injusto não nos classificarmos”, reflete o treinador.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave