Há também quem diga ‘não’

A proposta salarial, aliás, não era tão vantajosa, em comparação ao que recebe no Corinthians

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Se por um lado os altos salários vindos do futebol praticado na China e em países árabes seduzem atletas de ponta como Everton Ribeiro, Goulart e Tardelli, destaques nas temporadas 2013 e 2014, por outro, não são suficientes para tirarem do Brasil jogadores de elevado nível técnico.

O exemplo mais recente é o meia Jadson. Na contramão de Ribeiro, Goulart, Tardelli e Zé Love, além dos gringos Marcelo Moreno e Barcos, ele optou por continuar no Corinthians, após ser seduzido pela oferta do Jiangsu Sainty-CHI.

Os familiares de Jadson foram de suma importância para que o meia permanecesse no Timão. O atleta, que já atuou no Shakhtar Donetsk-UCR por cerca de sete anos, resolveu não se transferir para a China.

A proposta salarial, aliás, não era tão vantajosa, em comparação ao que recebe no Corinthians. Atualmente, ele ganha R$ 350 mil mensais, enquanto no Jiangsu receberia R$ 500 mil.

No início de 2007, o meia Wagner, então do Cruzeiro, se transferiu para o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, mas acabou retornando no meio do ano dizendo que nunca mais jogaria num país do Oriente Médio, onde teve problemas de adaptação. O Al-Ittihad também não pagou o valor devido à Raposa – cerca de R$ 15 milhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave