Aventura muito bem paga

Clubes ricos de países sem tradição na modalidade estão levando o “nosso futebol” embora

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Serão lembrados? Dunga, técnico da seleção, anuncia na próxima quinta-feira a primeira lista de convocados para amistosos do Brasil
Rafael Ribeiro / CBF
Serão lembrados? Dunga, técnico da seleção, anuncia na próxima quinta-feira a primeira lista de convocados para amistosos do Brasil

Com a bola nos pés, eles fizeram história em Minas Gerais, comandaram vitórias heroicas, proporcionaram alegria a legiões de fãs, foram autores de verdadeiras pinturas em forma de gols e se tornaram referências em âmbito nacional. O amor por um clube pode não se extinguir, principalmente após tantas epopeias vividas e sacrifícios feitos para honrar uma camisa mística, seja ela preta e branca ou azul celeste. Mas há momentos em que a independência financeira “força” os ídolos a deixarem a terra do pão de queijo rumo a um mundo desconhecido.  

As altas ofertas salariais, dentre outros privilégios, levaram vários jogadores brasileiros a se aventurarem no Leste Europeu ou Oriente Médio. Tais locais seguem angariando um grande número de atletas tupiniquins, como é o caso do ex-cruzeirense Everton Ribeiro, atuante nos Emirados Árabes. Agora, novos mercados emergiram a fim de recrutarem talentos “made in Brazil”. O país da moda é a China, capaz de adquirir o ex-atleticano Diego Tardelli e o ex-celeste Ricardo Goulart. Só que, juntamente com este desejo nutrido pelos futebolistas, surgem alguns riscos, a destacar a forte possibilidade de serem esquecidos na seleção brasileira.

Tardelli, Ribeiro e Goulart vinham sendo convocados por Dunga, por conta das excelentes exibições em 2014. Porém, as vagas ficaram ameaçadas a partir do momento em que optaram por jogar em locais onde o nível do futebol é baixíssimo e pouco divulgado no Brasil. Além da falta de informações, correm o sério risco de terem uma queda técnica, já que não serão tão exigidos pelos adversários, diferentemente do que ocorria em solo verde e amarelo.

Na próxima quinta-feira, será divulgada a lista de convocados para os amistosos em março contra França, no dia 26, em Paris, e Chile, no dia 29, em Londres, nos últimos jogos do combinado antes da definição dos relacionados para a disputa da Copa América. Fica a expectativa se Goulart (Guangzhou Evergrande-CHI), Tardelli (Shandong Luneng-CHI) e Ribeiro (Al Ahli-EAU) estarão presentes na lista.

Um dos atletas que era bem cotado para a seleção no passado, o meia Thiago Neves, do Al Hilal-Arábia Saudita, viveu na pele a exclusão no time canarinho devido a uma opção semelhante a um dos destaques de Minas em 2014. “Abri mão da seleção, de algumas coisas, para pensar na minha família, no meu pé de meia. Acho que o Everton (Ribeiro) pensou da mesma forma. Acho que ele pode ser convocado novamente, mas mais para a frente deve ficar um pouco de lado”, disse.

O zagueiro Paulo André, do Cruzeiro, que atuou no Shanghaï Shenhua-CHI, também aponta o futebol na China como abaixo da média. “O futebol chinês ainda não é desenvolvido. Tem três ou quatro times que jogam em um bom nível, os outros nem tanto. Mas cada jogador sabe o momento de deixar o Brasil para pensar no lado financeiro”, ressaltou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave