Força de elenco

iG Minas Gerais |

Mesmo com os reservas, o Cruzeiro deu conta do recado, venceu o Tupi por 3 a 0, em Juiz de Fora, e segue na liderança isolada do Campeonato Mineiro. O técnico Marcelo Oliveira se deu ao luxo de poupar os titulares, com exceção do lateral-direito Mayke, que voltou de contusão e precisava ganhar ritmo de jogo. O pensamento é o compromisso importante de amanhã, contra o Huracán, da Argentina, às 22h, no Mineirão, pela Copa Libertadores. Mesmo sem ter entrado em campo com força máxima, o Cruzeiro, aos poucos, começa a mostrar virtudes que fizeram o time dar tão certo nas duas últimas temporadas: a força do elenco. Dentro da equipe reserva, o treinador contou com boas opções que podem ajudar e muito na sequência. O atacante Henrique Dourado, por exemplo, marcou seu primeiro gol e mostrou que pode ser útil, vislumbrando uma disputa saudável com Leandro Damião. No entanto, estamos apenas no início da temporada e ainda é muito cedo para analisar se este renovado time do Cruzeiro dará certo ou não.

Vitória da tranquilidade A atuação não foi das mais empolgantes. O Atlético não brilhou, mas jogou para o gasto, fazendo o suficiente para vencer o Guarani, de Divinópolis, por 2 a 0, no Independência. O resultado positivo no Horto serviu para acabar com a sequência de três derrotas para Colo Colo, América e Atlas, do México, devolvendo um pouco de alívio e tranquilidade ao técnico Levir Culpi e aos seus comandados na sequência da temporada. Curiosamente, a vitória veio com dois jogadores de defesa e revelados nas categorias de base: o zagueiro Jemerson e o lateral Lucas Cândido. Com a vitória, o Galo assume a vice-liderança do Campeonato Mineiro, com 12 pontos, atrás do Cruzeiro, que tem 13. Agora, o time tem a semana inteira de preparação visando ao superclássico de domingo, contra o Cruzeiro, no Mineirão. O recomeço Apesar de ser precipitado fazer qualquer análise sobre o futuro do Cruzeiro, quanto mais o tempo passa, mais eu admiro o trabalho do técnico Marcelo Oliveira. É um profissional que merece muito respeito, principalmente pelas dificuldades que enfrentou: quando assumiu o clube e no início deste ano quando o time passou por um desmanche. Ser campeão uma vez pode até ser sorte. Ser campeão duas vezes, alguns falam em coincidência. Mas quando um trabalho dá certo rotineiramente não há como duvidar da competência. Marcelo Oliveira ajudou a montar o time bicampeão brasileiro, viu a equipe ser desmontada e agora já dá sinais de que vai conseguir remontar o grupo. Em poucos jogos e com muitas mudanças, o treinador começa a dar uma cara nova ao time. Justiça seja feita à retaguarda do Cruzeiro, que se virou após a saída de Alexandre Mattos. Gilvan de Pinho Tavares, Benecy Queiroz e Valdir Barbosa têm grande parcela de contribuição. Espírito de torcedor! Estive neste fim de semana na querida cidade de Florestal, que fica a cerca de 70 km de Belo Horizonte. Por lá, encontrei o amigo Sargento. Ele prometeu levar duas camisas autografadas do Atlético, uma a Aparecida do Norte e outra ao Santuário de Padre Libério, caso o Galo vencesse a Copa Libertadores de 2013. Ele me pediu para ajudá-lo a cumprir. Liguei para o presidente Daniel Nepomuceno e ele vai receber o torcedor. O dirigente pediu que o Sargento cumpra rapidamente a promessa para ver se a maré vira. Quem sabe, com as bênçãos dos céus, acabem as lesões? Muito legal esse espírito dos torcedores! Boa, Leão! Não posso deixar de destacar, aqui neste espaço, a boa campanha do Villa Nova no Campeonato Mineiro. No sábado, o Leão do Bonfim venceu o Mamoré por 2 a 1, em Patos de Minas, e assumiu o terceiro lugar do Campeonato Mineiro, contando com o empate entre América e Caldense. O Villa está com a mesma pontuação do América e, agora, no próximo domingo, os dois fazem um jogo-chave para definir a classificação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave