Invisível abre alas para o folk mineiro

Metade das dez canções nasceram em apenas um mês e meio de ensaios e são alimentadas basicamente por banjo e violões, além de sopros

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Bernardo Zanetti, Lucca Noacco e André Travassos formam o Invisível
lfqr/divulgação
Bernardo Zanetti, Lucca Noacco e André Travassos formam o Invisível

O trio folk Invisível nasceu para durar apenas uma noite, devido a um imprevisto. Durante uma festa no bairro Jardim Canadá ano passado, promovida pela banda Pequeno Céu, o músico André Travassos não pôde contar com seus companheiros da banda mineira Câmera. Assim, chamou Bernardo Zanetti e Lucca Noacco para segurar as pontas e improvisar.

“O Lucca colaborou com o Câmera nos dois discos que gravamos, aí ele indicou o Bernardo. Quando nos juntamos, sentimos a afinidade movida pelo folk”, explica André.

Calcado em influências diversas, que vêm de ícones do folk, como Bob Dylan, Neil Young, Townes Van Zandt, passam por Caetano Veloso e Egberto Gismonti, e chegam a Beatles, Radiohead, James Blake, Grizzly Bear, Fleet Foxes e Sufjan Stevens, o Invisível lançou seu primeiro álbum, “Yours Truly” (LFQR), no 1º Festival La Femme qui Roule, que reuniu seis bandas independentes pela primeira vez em um festival de música no Galpão Cine Horto.

Metade das dez canções nasceram em apenas um mês e meio de ensaios e são alimentadas basicamente por banjo e violões, além de sopros. Intimista, delicado e constantemente onírico, todas as canções do álbum foram compostas em inglês e estão disponíveis para audição gratuita no SoundCloud da banda (migre.me/oNuJO). 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave