Após morte por suspeita de coma alcoólico em festa, dois são presos

Suspeitos foram detidos na manhã deste domingo (1º) acusados de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar

iG Minas Gerais | Folhapress |

Jovem será sepultado em Passos neste domingo
FACEBOOK / REPRODUÇÃO
Jovem será sepultado em Passos neste domingo

Dois organizadores de uma festa universitária realizada em Bauru (329 km de São Paulo) foram presos na manhã deste domingo (1º), acusados de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. A prisão é decorrente da morte do estudante Humberto Moura Fonseca, de 23 anos.

Fonseca, que participava da festa na tarde deste sábado (28), morreu e outras seis pessoas foram internadas supostamente por coma alcoólico.

Segundo a Polícia Civil, os autuados organizaram a festa Inter Reps e são estudantes do quarto ano de engenharia. Seus nomes não foram revelados.

Natural de Passos de Minas (MG), Fonseca também estudava engenharia elétrica e estava matriculado no campus de Bauru da Unesp.

Ainda de acordo com a polícia, a festa tinha bebida liberada e a suspeita é de que a organização estimulava competições entre os universitários para ver quem ingeria a maior quantidade de bebida alcoólica.

Uma testemunha que participou da festa disse à polícia que Fonseca também competiu e bebeu 30 doses de vodca. A polícia não quis dar novas informações porque as investigações estão em andamento, mas disse que outras prisões devem acontecer.

O Instituto Médico Legal (ILM) ainda não divulgou o laudo da autópsia.

A reportagem tentou contato com a família de Fonseca, mas não conseguiu.

Pelo menos três estudantes continuam internados nos hospitais; no sábado, dois estavam com situação considerada grave, também com sintomas de coma alcoólico. Outros dois haviam tido alta horas após a internação.

Uma das internadas, uma universitária de 19 anos, foi transferida no sábado para um hospital particular, também em Bauru.

'PAREM A FESTA'

Nas redes sociais, colegas lamentavam o ocorrido. Numa página na internet que promovia a festa, os folders destacavam open bar de cerveja, vodca, energético e pinga de sabor catuaba.

Um estudante de direito de 21 anos que participava do evento disse à reportagem que, por volta das 19h30, a banda Homem de Lata, que estava no palco, anunciou o fim da festa motivado pela morte do jovem.

"Ninguém viu nada, mas os boatos estavam rolando antes de os caras avisarem que o menino morreu e encerrariam a festa", conta o universitário na condição de anonimato.

Leia tudo sobre: BauruSão Paulo