Esperança reacende após ameaça

A situação levanta a hipótese de nova fragmentação do país, assim como na Somália

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Uma dúvida que ainda paira em relação ao Estado iemenita, segundo o chefe do departamento de relações internacionais da Puc Minas, Jorge Lasmar, é sobre o que aconteceu aos membros do exército após a ocupação de Sana. “Uma das grandes preocupações é de a Al Qaeda estar ocupando esse espaço. Teme-se a fragmentação do Estado”, afirma.

A situação levanta a hipótese de nova fragmentação do país, assim como na Somália. “O medo é que a ‘somalização’ do Iêmen crie espaço para que grupos terroristas aumentem”, acredita o professor. Para Lasmar, a esperança reapareceu após, nos últimos dias, os hutis terem pressionado os membros do governo a voltar, sob a ameaça de julgá-los por traição. “Isso pode não significar depor completamente o governo, mas só forçar para que tenha mais autonomia e interesses mais bem acolhidos pelo governo. Se esse for o caso, pode ser que se chegue a um certo rearranjo satisfatório entre as partes envolvidas”, diz Jorge Lasmar.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave