Aposta em reality culinário

Canal GNT estreia em março “Food Truck – A Batalha” e “The Taste”, que misturam competição e gastronomia

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Truck. Afolpho Schaeffer, do Holy Pasta, será um dos mentores dos participantes de “Food Truck – A Batalha”, que estreia no GNT
GNT / Divulgação
Truck. Afolpho Schaeffer, do Holy Pasta, será um dos mentores dos participantes de “Food Truck – A Batalha”, que estreia no GNT

A proliferação de reality shows de culinária está longe de acabar. O bom desempenho de atrações como “MasterChef”, da Band, e “Cozinha Sob Pressão”, do SBT, que estrearam no ano passado, impulsionou canais a continuarem apostando no filão da disputa gastronômica. No caso do GNT, que já exibe atrações como “Cozinheiros em Ação”, serão duas as novidades que envolvem panelas e competição e estreiam no canal em março.

A primeira se chama “Food Truck –- A Batalha”, que investe na atual moda da comida de rua servida em caminhões ou furgões. Gravado em São Paulo, o programa terá 30 episódios e exibição de segunda a sexta. O formato mostra equipes disputando quem vende mais pratos em determinada região da cidade.

Adolpho Schaeffer, do Holy Pasta, e Marcio Silva, do Buzina, são os mentores que auxiliam na adaptação dos participantes às cozinhas sobre rodas. Para o primeiro episódio, a maior dificuldade dos concorrentes é a correria, já que eles têm de lidar com todas as etapas do processo, das compras ao preparo, passando por saber como lidar com os clientes.

“É muito diferente de trabalhar em um restaurante”, explica Silva. “O que a gente faz não é só comida. No food truck quebramos a parede da cozinha e ficamos cara a cara com o consumidor”, completa.

“The Voice” gastroNômico. A outra novidade da temporada é a versão brasileira do reality show “The Taste”, espécie de “The Voice” gastronômico. Serão dez episódios exibidos semanalmente no GNT, a partir do próximo dia 19. O diferencial do programa é que, assim como no “The Voice”, as avaliação dos jurados são feitas às cegas. Eles provam apenas uma colherada do que os participantes preparam, sem saber quem preparou cada bocado.

O formato, que surgiu nos Estados Unidos, já tem versões bem-sucedidas em países como China e Alemanha e também no mundo árabe. Por aqui, os jurados serão André Mifano (do restaurante Vito), Claude Troisgros (do Olympe) e Felipe Bronze (do Oro), que já na primeira peneira ficam de costas e não sabem quem estão elegendo para as próprias equipes.

“Nós queremos que vocês nos embriaguem, não de bebida, mas de sabores”, pedia Bronze aos participantes, durante gravação do primeiro programa em um estúdio na zona Oeste de São Paulo que reproduzia os vitrais do Mercado Municipal. Além da avaliação em grupo feita por um chef convidado, os participantes também competem individualmente, sem a ajuda dos mentores, que podem eliminar, sem saber, pessoas do próprio time.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave