No caminho do mal

Débora Nascimento vive primeira vilã da carreira como a sensual Sueli, em “Alto Astral”, atual trama das sete

iG Minas Gerais | luana borges tv press |

Preparação. Débora Nascimento vem se dedicando muito nos últimos meses para entender o universo do seu papel
CZN
Preparação. Débora Nascimento vem se dedicando muito nos últimos meses para entender o universo do seu papel

Interpretar um vilão é sonho de consumo da maioria dos atores. Por isso, Débora Nascimento está tão empolgada. Depois de se acostumar a dar vida a mulheres românticas e do bem, como a Tessália de “Avenida Brasil” e a Taís de “Flor do Caribe”, ela estreou no cobiçado posto na pele da ardilosa Sueli, em “Alto Astral”. “O vilão é um personagem muito ativo, que movimenta a trama. Você tem uma licença poética para colocar todos os monstrinhos para fora”, diverte-se. Assim que recebeu o convite para a novela das sete, Débora percebeu que tinha uma grande responsabilidade em mãos. Afinal, além de Sueli ser a vilã da trama de Daniel Ortiz, trata-se do papel de maior relevância em sua carreira. “Não bateu um medo, mas uma ansiedade por ser a maior personagem que já peguei, a mais complexa e com um volume de cenas muito maior”, explica.

No início do folhetim, Débora aproveitou para conversar bastante com o autor e com o diretor Jorge Fernando sobre o tom de Sueli. Na história, a personagem renega sua família e tem vergonha de admitir sua origem simples. Mas, volta e meia, se arrepende por destratar a mãe e os irmãos. Por isso, era fundamental que a atriz encontrasse um equilíbrio entre o lado vilanesco do papel e o sentimental. “O que me encantou nessa personagem foi exatamente isso, tudo tem um porquê, um motivo, não é vilania por vilania. No ponto de vista da Sueli, ela está fazendo bem em não expor a família no meio de pessoas ricas e influentes. Olha eu já defendendo a personagem!”, ri. Para entender melhor o universo do papel, Débora contou com o auxílio da coach Andréa Cavalcanti. “Ela me ajudou muito a achar essa humanidade da Sueli. E, na verdade, vivo cada cena. Cada sequência que chega, eu estudo e faço de verdade”, salienta.

A dedicação de Débora surtiu efeito. Pelo menos, a repercussão de seu trabalho tem sido positiva nas ruas. Apesar de viver uma personagem de caráter duvidoso, a atriz recebe abordagens carinhosas. Vez ou outra, escuta um sermão de brincadeira, quando alguém diz: “Você precisa tratar bem a sua mãe!”. “Foi uma surpresa todo esse carinho do público, mas acho que, por ser uma vilã mais humana, que sofre, que é maltratada e procura o amor, o pessoal se identificou”, avalia ela, que admite estar bem mais à vontade na pele de Sueli depois de quatro meses de novela no ar. “A gente arranca os cabelos quando começa, mas agora está orgânico. Depois de um mês com a personagem todo santo dia, quando vou para a cena, já vem tudo da Sueli: a sensualidade, aquele olhar de cobra, a relação com o Marcos, com a família...”, conta, referindo-se ao vilão interpretado por Thiago Lacerda.

O processo de caracterização também foi de suma importância para Débora. Na história, quando não está com o uniforme de secretária, Sueli veste roupas elegantes e sedutoras. “Tudo que a personagem conseguiu na vida primeiramente foi através de sua beleza. Ela não tem nem outra referência de como se aproximar e isso é refletido nas roupas e na forma como olha quando precisa de alguma coisa”, ressalta.

Perfil Nome completo:

Débora Nascimento

Data de nascimento:

16 de junho de 1985

Local de nascimento:

Suzano (SP)

Últimos papéis na TV:

Maria Carlota Vergara de “Geração Brasil” (2014), Taís de “Flor do Caribe” (2013), Tessália de “Avenida Brasil” (2012), Roberta Viana de “Viver a Vida” (2009)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave