Doleiro envolve banqueiro em esquema na BR Distribuidora

Youssef teria relatado que a propina foi de R$ 6 milhões e coube a ele entregar o dinheiro

iG Minas Gerais |

Declarações de Alberto Youssef foram feitas em novembro de 2014
VAGNER ROSARIO
Declarações de Alberto Youssef foram feitas em novembro de 2014

São Paulo. A revista “Época” desta semana traz reportagem com trecho da delação premiada do doleiro Alberto Youssef envolvendo o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, num suposto esquema de corrupção com uma empresa vinculada à BR Distribuidora.  

De acordo com a revista, Esteves estava envolvido em 2008 com o empresário Carlos Santiago na empresa Derivados do Brasil, a DVBR, uma rede de 118 postos de combustíveis com atuação principal em São Paulo e em Minas Gerais.

A reportagem relata que a sociedade acumulou prejuízos e, em 2011, Santiago e executivos do banco BTG procuraram a BR Distribuidora, que teria aceitado pagar recursos para colocar sua marca na rede DVBR e garantir que a companhia apenas compraria combustível da BR Distribuidora.

Youssef teria relatado que a propina foi de R$ 6 milhões e coube a ele entregar o dinheiro. Metade do valor teria ido para o senador Fernando Collor, uma parte para empregados da BR e outra parcela para Pedro Paulo Leoni Ramos, amigo de Collor.

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave