Jovem é morto com 25 tiros após de discussão em baile funk no Barreiro

Antes mesmo de serem comunicados oficialmente sobre o assassinato do garoto, os parente deles já havia sido alertados sobre a situação por uma mensagem pelo Whatsapp, de um número desconhecido

iG Minas Gerais | Jhonny Cazetta |

Um jovem foi executado com 25 tiros após se envolver em uma discussão em um baile funk, no bairro Itaipu, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, na madrugada deste sábado (28). O trio suspeito pelo crime fugiu antes da chegada da Polícia Militar (PM) e, até o momento, não foram localizados.

De acordo com a PM, a confusão ocorreu em um baile do aglomerado Itaipu. Lá, Maicon Igor Pereira de Jesus foi assassinado após uma discussão com cerca de três homens no local. O corpo dele, no entanto, só foi encontrado pela PM, a mais de dois quilômetros de onde o baile ocorreu, próximo a uma linha férrea da região.

Ao todo, segundo a perícia da Polícia Civil, o jovem foi assassinado com 25 tiros. Sendo 21 deles nas costas, quatro na cabeça e um no pescoço. “Por volta das 6h fomos comunicados que havia um homem baleado próximo a essa linha. Ao chegarmos, ele já estava sem os sinais vitais. Acreditamos que a intenção dos criminosos era somente desovar o corpo dele aqui, para dificultar os trabalhos de investigação da polícia”, afirmou o sargento Zilvane Carvalho.

Junto ao corpo do jovem não havia nenhum documento de identificação. Mesmo assim, através de um levantamento de informações no bairro, os policiais conseguiram identificar a vítima e descobrir que o jovem havia sido baleado em um baile funk do bairro, após uma discussão. “Ainda não é possível identificar de que natureza foi essa briga. Ela pode ter sido de cunha passional ou até mesmo por algum atrito antigo, uma vez que o suspeito havia saído há mesmo de uma semana da prisão”, contou o sargento.

Whatsapp

O início de sábado não foi fácil para familiares do jovem Maicon Igor Pereira de Jesus, de 25 anos. Isso porque antes mesmo de serem comunicados oficialmente sobre o assassinato do garoto, os parente deles já havia sido alertados sobre a situação por uma mensagem pelo Whatsapp, de um número desconhecido.

“Ficou todo mundo muito preocupado, porque recebemos a notícia que ele havia sido baleado neste baile, mas não sabíamos se era verdade ou não. Só quando procuramos a polícia e fomos até ao local onde ele foi encontrado, é que tivemos a confirmação. Foram horas de angústia. A mãe dele está em choque”, contou um familiar, que pediu para não ser identificado.

As investigações sobre o caso já foram iniciadas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Por conta da mensagem, a polícia acredita que pessoas conhecidas do jovem estavam com ele durante a confusão no baile funk. Por conta disso, além de tentar identificar os autores do crime, a polícia também pretende descobrir os autores da mensagem.

Leia tudo sobre: baile funkdiscussãoWhatsAppjovem