Caminhoneiros continuam protestos em cinco estados

Segundo mais recente levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF), até as 7h deste sábado (28) havia 30 pontos de bloqueio, em 17 estradas federais

iG Minas Gerais | AGÊNCIA BRASIL |

Pesquisa aponta que 13% dos caminhoneiros usam rebites
Deniltos Dias/O Tempo
Pesquisa aponta que 13% dos caminhoneiros usam rebites

Caminhoneiros em protesto contra o aumento do óleo diesel e falta de valor mínimo de frete continuam bloqueando rodovias federais em cinco estados brasileiros. Ao todo, segundo mais recente levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF), até as 7h deste sábado (28) havia 30 pontos de bloqueio, em 17 estradas federais.

Santa Catarina e o Rio Grande do Sul estão com 13 pontos de interdição, cada. Em Santa Catarina, a BR-282 é onde os motoristas têm mais dificuldade de transitar, já que são seis pontos de manifestação: em Maravilha, Xanxeré, Santa Maria do Oeste, Nova Erechim, Palmitos e Ponta Serrada.

No Paraná, são seis pontos de bloqueio; em Mato Grosso, cinco; e em Mato Grosso do Sul, um, que começou ontem (27) na BR-163, em São Gabriel D'Oeste. Na quinta-feira (26), quando eram 88 os pontos de interdição, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou multas entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por hora para os caminhoneiros que continuassem obstruindo as estradas.

Antes disso, o governo havia se reunido com representantes da categoria e anunciado acordo. Pela proposta, o governo prometeu sancionar a Lei dos Caminhoneiros sem vetos, prorrogar por 12 meses o pagamento de caminhões por meio do Programa Procaminhoneiro e criar, por meio de negociação entre caminhoneiros e empresários, uma tabela referencial de frete. Nesse item, os representantes dos caminhoneiros pediram que o governo atue na mediação com os empresários.

Mesmo assim, os protestos não acabaram, porque parte dos manifestantes não concorda com a negociação feita.

Leia tudo sobre: grevecaminhoneirosdiesel