Indiana resgata ‘roda’ para bebês abandonados pelos pais

Projeto de lei prevê que caixa semelhante a incubadora seja colocada em hospitais

iG Minas Gerais |

Repaginada. A caixa é uma incubadora de metal criada para salvar a vida de um bebê recém-nascido abandonado. As leis do Estado de Indiana permitem que a mãe não fique com seu recém-nascido, mas questão está longe de um consenso
reprodução safehavenbabyboxes.com
Repaginada. A caixa é uma incubadora de metal criada para salvar a vida de um bebê recém-nascido abandonado. As leis do Estado de Indiana permitem que a mãe não fique com seu recém-nascido, mas questão está longe de um consenso

Indianápolis, EUA. O Estado de Indiana pode ser o primeiro dos Estados Unidos a usar “caixas para bebês” em uma tentativa de prevenir o abandono de recém-nascidos nas ruas.  

A caixa é uma incubadora de metal que foi desenvolvida para salvar a vida de um bebê recém-nascido abandonado. Ela pode ser instalada em hospitais, postos de bombeiros, igrejas e organizações escolhidas se a lei que a estabelece for aprovada.

A ideia é dar às mães em crise uma maneira mais segura de abrir mão de seus filhos de maneira anônima.

O projeto de lei é uma progressão natural das leis já existentes no país, disse o deputado republicano Casey Cox. Essas leis permitem que os pais entreguem seus filhos de maneira legal a hospitais e outras instalações sem temerem um processo. Cox disse que sua proposta é baseada no conceito de ajudar “aquelas crianças que são deixadas nas florestas, que são abandonadas em locais periogosos.”

Apoiadores do projeto dizem que as vidas de muitas crianças podem ser salvas ao oferecer às mães uma maneira anônima de deixar seus filhos.

Críticos, entretanto, dizem que as caixas apenas tornam mais fácil o abandono de crianças sem a exploração de outras alternativas, e afirmam que elas não fazem nada para combater a pobreza e outros problemas sociais que contribuem para o abandono.

Dentro das leis que permitem que os pais abram mão de seus filhos com segurança, 2.800 crianças foram deixadas desde 1999. Entretanto, outras 1.400 foram encontradas abandonadas ilegalmente. Pelo projeto de lei, que já passou pela câmara do estado, o departamento de saúde de Indiana seria responsável por regular as caixas, que poderiam receber bebês com até 31 dias, e por criar um registro público de sua localização.

Monica Kelsey, presidente da organização sem fins lucrativos Safe Haven bebê Boxes Inc. disse que as caixas são um último recurso e não se destinam a substituir as leis, mas aumentar a conscientização e opções. “Se essas caixas são a resposta, ótimo”, disse ela.

História que vem da Idade Média A ideia da caixa é originada dos tempos medievais, quando conventos eram equipados com portas com compartimentos onde bebês não desejados eram deixados para as freiras, as chamadas “rodas”. Os bebês indesejados eram depositados pela parte de fora e depois girados para dentro das instituições. No Rio de Janeiro colonial, o drama se repetia, muitos bebês abandonados eram atacados por cães e ratos. A solução surgiu em 1738 por iniciativa de Romão Duarte, que criou a Casa dos Expostos, passando a funcionar no antigo hospital da Santa Casa, e, junto com ela, a roda para receber os indesejados. A roda do Rio de Janeiro, porta de admissão à Casa dos Expostos, só deixou de existir em 1948. Teria recebido mais de 200 anos de atividade. O problema de abandono de crianças, porém, ainda é um problema crônico no país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave