Grupos estimulam participação

Assim como outras ciclistas ouvidas pela reportagem de O TEMPO, Poliana critica as agressões verbais vindas de alguns homens.

iG Minas Gerais | João Paulo Costa |

Além do coletivo horizontal Massa Crítica Feminista, que reúne centenas de mulheres para discutir a questão da mobilidade urbana, do uso da bicicleta como meio de transporte e, sobretudo, para debater a questão do gênero na capital mineira, há um grupo de meninas que, “sem levantar bandeiras”, nas palavras delas próprias, preocupa-se em atrair um número cada vez maior de mulheres que curtem andar de bike pelas vias de Belo Horizonte.

O grupo é o Pedal de Salto Alto. Em encontros que acontecem sempre aos sábados à tarde, em locais determinados previamente na fan page, as ciclistas chegam a reunir cerca de 70 mulheres por passeio.

Uma das organizadoras do grupo, a advogada Poliana Figueiredo, 28, diz que o objetivo principal do Pedal de Salto Alto é inserir cada vez mais mulheres no “universo do pedal”, independentemente da faixa etária. “Percebemos, nos últimos anos, um aumento considerável de mulheres ciclistas em BH. Isso é ótimo. Há cinco ou seis anos não era assim. Hoje, vêm mulheres de vários bairros e são sempre muito bem recebidas por nós”, afirma.

Assim como outras ciclistas ouvidas pela reportagem de O TEMPO, Poliana critica as agressões verbais vindas de alguns homens. “‘Me dá uma carona?’, ‘Me leva na garupa?’. Essas abordagens agridem a todas nós. O que não devemos deixar acontecer é que esse tipo de coisa nos desanime”, diz ela.

Segundo a advogada, há também quem elogie a iniciativa. “Tem gente que nos cumprimenta por reunirmos mulheres para andar de bicicleta pela cidade. E isso nos estimula, também”, conta.

Convite

Contatos. Mulheres que desejam começar a andar de bike ou se juntar ao grupo pode acessar: www.facebook.com/Pedaldesaltoalto. Informações pelo telefone (31) 9893-1713.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave