Festival de Paulínia é suspenso

Por dívidas do município e suspeita de irregularidades, prefeito veta evento e edital

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

IMOVISION
undefined

José Pavan Júnior (PSB), prefeito do município de Paulínia, divulgou decreto que suspende a realização de uma nova edição do Festival de Cinema da cidade, prevista para junho, assim como um edital no valor de R$ 10 milhões. A dívida da cidade, segundo o prefeito empossado no dia 6 de fevereiro, é de R$ 160 milhões. A prefeitura era ocupada por Edson Moura Filho (PMDB), afastado em meio a sete pedidos de cassação, emitidos a partir de 2012. Foi Moura Filho o responsável por voltar a investir no cinema na cidade, em 2014.

O decreto divulgado aponta que todas as contas e contratos de todas as áreas da prefeitura serão analisadas dentro de 60 dias. Os pagamentos e as contratações de fornecedores foram suspensos. Neste período, uma comissão formada por quatro secretários irá analisar os contratos para verificar as irregularidades. Após esse prazo, uma nova decisão deverá ser divulgada. O edital publicado no ano passado para a produção de dez filmes com um custo de R$ 8 milhões, R$ 800 mil para cada montagem, também foi suspenso.

Vários filmes foram rodados na cidade, como “O Palhaço”, de Selton Melo, e “Trabalhar Cansa”, de Juliana Rojas e Marco Dutra, e outros, como “Entre Vales”, de Philippe Barcinski, receberam financiamento público. A assessoria da Prefeitura confirmou que algumas produções já estavam em andamento, mas sem contratos assinados e com irregularidades no processo de seleção. Em 2012, quando a cidade também era administrada por Pavan, a 5ª edição do Festival de Cinema foi suspensa. O motivo naquele ano também foi financeiro, contenção de despesas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave