A vez das lanchonetes

iG Minas Gerais |

Fachada do Parm, especializada em sanduíches, na Mulberry Street, em Nova York
Renato Quintino/divulgação
Fachada do Parm, especializada em sanduíches, na Mulberry Street, em Nova York

<CW-10>Muita gente desvaloriza um hambúrguer ou um cachorro-quente como se fosse comida de segunda. Mas não é. Fazer boa comida exige preparo, experiência, equilíbrio na receita e atenção aos detalhes. E os itens acima se tornam ainda mais difíceis quando a proposta é reproduzi-los com qualidade e em larga escala. Hambúrgueres geram verdadeiros impérios na gastronomia. Não existe um negócio mais lucrativo do que esse na comercialização de comida. Mas, se até pouco tempo não havia muita atenção a sabores mais complexos, à qualidade da carne e a outros detalhes, hoje existe um padrão a ser buscado depois que o público se acostumou com a qualidade de hamburguerias artesanais e do chamado fast casual, nos Estados Unidos, com apelo aos conceitos local e orgânico, que atrai o público jovem, como as redes Chipotle e Shake Shack.

No mês passado, foi divulgada a crise que começa a passar o gigante Mc Donalds, que apresentou a primeira queda de faturamento em 13 anos. A empresa investe pesado numa reformulação geral, afetada especialmente pelo crescimento do fast casual.

Novidades

Criada pelo respeitado restauranter Danny Meyer, o Shake Shack começou como ponto de venda no Madison Square Park com a proposta de ser um hot-dog cart, no estilo de Chicago, trazendo emprego de verão para parte do staff de seus restaurantes. Rapidamente, ele evoluiu a proposta de hambúrgueres e fritas, que, além de ter hoje lojas em cidades como Londres, Dubai e Istambul, começou a ser negociada no New York Stock Exchange por US$ 745 milhões, aumentando o faturamento dos negócios de Meyer em US$ 155 milhões no mês passado.

Não é roubada. O público de hoje é exigente, o hambúrguer do Shake Shack é ótimo e trouxe realmente um novo conceito para o sanduíche, na escala com a qual é feito.

Uma recente notícia na cena gastronômica de Nova York confirma essa tendência de inovações. Rich Torrisi, Mario Carbone e Jeffy Zalaznick, sócios de casas de sucesso e conceito arrojado, como o recém-aberto Dirty French, além do Carbonne, vão fechar a sua conceituada primeira casa, o Torrisi Italian Specialties, e transformar sua lanchonete gourmet Parm – especializada em sanduíches de polpettas (almôndegas) – em franquia.

Polpettas são uma das especialidades do trio de restauranters, e o sanduíche do Parm, em Nolita, na Mulberry Street, é realmente uma delícia. É feito com pão de qualidade, polpettas de diversos sabores no ponto certo e com molhos bem elaborados. O trio fez sucesso com uma pequena lanchonete estilizada que começou há pouco mais de dois anos e, agora, quer conquistar o mundo e, claro, rechear com força a conta bancária dos três jovens sócios.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave