Poderosas

iG Minas Gerais | Natália D'Ornellas |

Vestido de Lady Gaga  para o Oscar levou dois meses para sair da oficina de Azzedine Alaïa.
MARK RALSTON/AFP
Vestido de Lady Gaga para o Oscar levou dois meses para sair da oficina de Azzedine Alaïa.

Todo ano é a mesma coisa: o mundo inteiro diz que o Oscar é chato e o tapete vermelho, uma bobagem, mas vão todos pra frente da TV e para as outras telas para ver e comentar os vestidos mais poderosos da história. Pois vamos à parte que os apresentadores não contam. A ganhadora do Oscar de Melhor Atriz, Julianne Moore, usou um Chanel que levou 987 horas pra ser feito por 27 pessoas e tinha 80 mil paetês pintados à mão.  Lupita Nyong’o usou um Calvin Klein assinado pelo mineiro Francisco Costa, com 6.000 pérolas. Já o Givenchy de Rosamund Pike levou 2.000 horas pra ser feito, e o de Lady Gaga (o mais polêmico) levou dois meses para sair da oficina de Azzedine Alaïa. E para quem acha que Donatella não está com nada, uma informação: a  Versace foi a marca mais usada no tapete vermelho e nas festas. Ao todo, foram nove atrizes usando um modelo da marca.

Elke no sertão 

Nada como o frescor da juventude e a coragem. Enquanto lá fora as marcas investiram em senhorinhas elegantes para criar suas imagens, Lucas Magalhães investiu pesado na onda ageless. Convidou ninguém menos que Elke Maravilha para representar outra mulher forte, Maria Bonita, já que sua coleção tinha como tema a cultura nordestina. Ao lado da modelo Paula Mulazzani, Elke posou para as lentes de Phillippe Kliot, com styling de Yasmin Sterea. As peças foram criadas especialmente para ela. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave